Próxima Edição - 18 de novembro

17.7 C
Gondomar
Quinta-feira, Outubro 21, 2021

“Quando o povo ocupou o que era seu”

Também pode ler

Ana Paula Correia, Micaela Santos e Daniel Vieira são os três responsáveis pelo livro “Quando o povo ocupou o que era seu”. Um livro que promete demonstrar através de entrevistas, estudos científicos e documentos oficiais da época uma luta pela justiça vivida pela população. O intuito dos autores é perpetuar, para as gerações futuras, a memória e preservar os testemunhos daqueles que sentiram na pela a dura vida Mineira.

“Este projeto, na verdade, surgiu há cerca de sete anos. Quando decidimos comemorar os 40 anos deste acontecimento histórico que, agora, evocamos no livro. Esta obra surge depois de realizamos aqui a exposição de comemoração sobre os 40 anos do Centro Revolucionário Mineiro”, revela Daniel Vieira ao nosso jornal. O escritor continua a explicar que a questão que se impunha era como transformar essa exposição, num instrumento de maior divulgação, “Havia a necessidade de dar um enquadramento teórico e legível e, foi isso que acabou por originar este livro que preserva essa memória e a divulga para as gerações futuras”.

Esta obra retrata a história do movimento que, em 22 de Maio de 1975, ocupou os antigos escritórios das minas de carvão de São Pedro da Cova, um processo que deixou profundas marcas na comunidade local. Sobre a revolução, Daniel explica que “Contar todo o processo revolucionário que decorreu em São Pedro da Cova, num único livro não daria, mas acredito que estamos perante um contributo sério para retratar um momento específico que é o Centro Revolucionário Mineiro ”.

Sobre o Centro Revolucionário, Daniel Vieira, elucida-nos referindo que este processo ajudou “A dar um sentido político a esta Freguesia. Porque durante a exploração mineira temos várias lutas desencadeadas pelos operários. Que acabaram por ser importantes para a formação de uma consciência social e política. Entretanto, as minas encerraram em 1970.

No que concerne à pesquisa, Micaela Santos revela o seguinte: “A pesquisa foi feita pelo Museu Mineiro e nesse sentindo tivemos que consultar o arquivo do Museu, porque todas as informações referentes à época foram recolhidas para a exposição já mencionada, que foi promovida pela Junta de Freguesia e que decorreu aqui no Museu Mineiro.

Todas as fontes são verídicas”. Para Micaela Santos, a fase de investigação foi realmente criteriosa, porque num livro como este não há margem para erro. A responsável afirma ainda que este livro pretende reforçar a identidade que já existia em São Pedro da Cova. O prefácio ficou a cargo do historiador Mazola, que já conta com enumeras publicações sobre este tema. Simultaneamente, a obra conta com um posfácio da Presidente dos Amigos do Centro Revolucionário Mineiro, a professora Jerónima Santos.

Sobre o assunto, Ana Paula adiantou que a apresentação do livro decorreu no dia 22 de maio, pelas 18 horas, no Auditório da Junta de Freguesia de São Pedro da Cova. O livro é apresentado no dia em que se comemora o aniversário deste movimento que daria origem ao Centro Revolucionário Mineiro. A apresentação ficou ao encargo do professor José Manuel Lopes Cordeiro que, também, tem trabalhado com São Pedro da Cova e com Museu.

O livro está disponível na Almedina, Fnac, Bertrand, nas grandes livrarias e diretamente com a editora, como também está disponível no Museu Mineiro. ■
- Publicidade -spot_img

Mais artigos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Publicidade -spot_img

Últimas Notícias