CD S. Pedro da Cova quer garantir a manutenção “o mais cedo possível”

O CD S. Pedro da Cova quer garantir a manutenção na Divisão Elite Pro-nacional / Foto: Pedro Santos Ferreira

O CD S. Pedro da Cova quer garantir a manutenção na Divisão Elite Pro-nacional / Foto: Pedro Santos Ferreira

Equipa são pedrense ataca a Divisão de Elite Pro-nacional com um dos plantéis mais jovens da história do clube

A Associação Desportiva de S. Pedro da Cova sofreu no início da presente temporada um processo de reestruturação financeira que obrigou a direção a “começar do zero”. Optimista, o grupo de trabalho prepara-se semana a semana para garantira manutenção na 1ª divisão da Associação de Futebol do Porto. 

A AD S. Pedro da Cova garantiu na época passada a manutenção na Divisão Elite Pro-nacional na última jornada do campeonato. A memória ainda está viva para os dirigentes, equipa técnica e jogadores que querem evitar que o sofrimento da época passada volte a repetir-se em 2015/2016.

A par das dificuldades desportivas o clube mineiro passou também por um complicado processo de transferência dos direitos desportivos para fazer face às “dificuldades financeiras graves que a qualquer momento poderiam ter ditado o fim do clube”. “Tivemos que arranjar forma que a população desta freguesia não deixasse de ter um clube a disputar o campeonato distrital. Em Assembleia Geral, no dia 15 de julho, foi aprovado por unanimidade o projeto de transferência dos direitos da AD S. Pedro da Cova para o Clube Desportivo São Pedro da Cova e o clube assegurou-se a fazer os pagamentos das dívidas que existiam”, explica Carlos Rodrigues, presidente do clube.

A decisão mereceu a aprovação “inédita” da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que considerou o processo legal. “Em termos desportivos deixa de existir a Associação Desportiva mas continuam a existir as instalações”, refere o dirigente.

Processo atrasou início da época

Assim, só a 16 de agosto, com um “atraso significativo” para os adversários o clube são pedrense iniciou a preparação da nova época com um grupo de trabalho reformulado. “O plantel tem oito jogadores com 19 anos e é um dos mais jovens de sempre. Temos apenas quatro jogadores da época passada e é preciso dar tempo ao grupo porque, apesar de tudo, há mais talento do que na temporada anterior”, diz Carlos Rodrigues ao Vivacidade.

Ao comando da equipa está agora Hélder Natividade, 37 anos, primeira época como treinador, e ex-jogador profissional que passou pelo S. Pedro da Cova com 19 anos. “É bom regressar a esta casa. Este clube tem uma massa associativa aguerrida e isso fez-me crescer como jogador e pode impulsionar-me como treinador”, admite o técnico principal.

Aos adeptos, o treinador pede tempo para uma equipa que “vai dar que falar”. “Nos últimos anos o S. Pedro da Cova tem conseguido a manutenção nas últimas jornadas mas gostaria de dar essa tranquilidade mais cedo. Temos que fazer valer o nosso talento dentro das quatro linhas porque a competição é longa e muito equilibrada”, afirma Hélder Natividade.

Assim, domingo a domingo, os jogadores esperam dar resposta à massa associativa. Rui Lopes, 20 anos, lateral direito a cumprir a segunda época como sénior, promete dar “o melhor em cada jogo e tentar sempre conquistar três pontos para chegar rapidamente ao objetivo”.

O atleta não vê problema na juventude do grupo e destaca a “união da equipa” como catalisador da confiança e tranquilidade pessoal.

Por sua vez, Nuno Pereira, ou “Sampaio” como é conhecido, 34 anos, lateral direito, é uma das vozes mais experientes e tenta passar “os valores do clube” aos mais novos. “Este plantel tem miúdos com muita qualidade e espero dar-lhes boas diretrizes para o futuro”, refere o jogador.

O S. Pedro da Cova ocupa atualmente a 12ª posição da Divisão Elite Pro-Nacional com um registo de uma vitória, um empate e uma derrota, num total de quatro pontos somados. O próximo adversário do clube mineiro é o Vila Meã.

, , ,