Albertino Valadares renova mandato na presidência da ARGO

ARGO - fevereiro 2018

A tomada de posse realizou-se na sede da ARGO / Foto: Pedro Santos Ferreira

Os corpos sociais da Associação Artística de Gondomar (ARGO) tomaram posse, no dia 17 de fevereiro, para o biénio de 2018/2019. A cerimónia teve lugar na sede social da coletividade.

Os dirigentes da ARGO renovaram votos e compromissos para um novo mandato à frente dos destinos da coletividade. A cerimónia de tomada de posse decorreu na sede social da coletividade, no interior do Pavilhão Municipal de Fânzeres. Albertino Valadares foi novamente reeleito para o cargo de presidente da direção da ARGO, pela 14ª vez.

“Este será o 14.º mandato à frente da ARGO. Este pavilhão – e a nossa sede – estiveram fechados cerca de um ano, mas agora queremos retomar a atividade na nossa sede. Agradecemos a colaboração da União das Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova durante esse período e relembramos que temos outros projetos a aguardar resposta da parte do Município”, disse o presidente da ARGO, num breve discurso.

A última palavra foi dada a Luís Filipe Araújo, vice-presidente da Câmara de Gondomar e responsável pelo pelouro da Cultura, que reforçou “a importância da ARGO, no que diz respeito às artes e artesanato do concelho”. “Para o Município é necessária uma instituição forte nesta área. Temos que trabalhar no mesmo sentido para fazermos mais e melhor. Se os objetivos forem esses, podem contar connosco”, concluiu o autarca.

No final da cerimónia de tomada de posse, realizou-se o tradicional porto de honra.

Albertino Valadares: “Ainda hoje não tenho as chaves da nossa sede”
À margem da tomada de posse, Albertino Valadares confessou ao nosso jornal algum desagrado com o atual executivo socialista. “Neste momento, temos dois projetos bienais à espera de confirmação: Prémio de Arte Erótica e a Artistas.Gondomar. São eventos que organizamos há 25 anos e sempre reunimos com o responsável pela Cultura para definir essas atividades. Este ano, pela primeira vez, fui confrontado com a necessidade de apresentar essas propostas ao Município e isso desagradou-nos bastante”.

O dirigente mostrou-se descontente com o procedimento e elencou outros exemplos. “Esta falta de respeito vem desde a altura em que este pavilhão [Municipal de Fânzeres] fechou para obras sem ninguém nos dar conhecimento”, acrescenta.

Albertino Valadares considera que os casos apontados são consequência do apoio dado a Valentim Loureiro nas últimas eleições autárquicas.

Órgãos sociais da ARGO
Presidente da Direção – Albertino Valadares;
Presidente da Assembleia-Geral – Orlando Alves;
Presidente do Conselho Fiscal – Isabel Melo;
Presidente do Gabinete de Apoio ao Artesão – Alfredo Rangel;

, , , ,