Alunos da EB 2,3 de Rio Tinto ainda sem aulas de Educação Física

Aurora Vieira

Aurora Vieira, vereadora da Educação da CMG

Câmara sugere deslocação dos alunos para outros pavilhões

Os alunos da Escola EB 2,3 de Rio Tinto estão sem aulas de Educação Física desde abril do ano passado. O pavilhão está em obras desde aí e os mais de 900 alunos têm apenas aulas teóricas na disciplina. O município propõe agora que os estudantes tenham aulas noutro pavilhão, assegurando o transporte dos mesmos, mas a Associação de Pais já avançou ao Vivacidade que não aprova a sugestão da Câmara.

“As ruas já estão abertas mas ainda não estão com as devidas camadas de pavimento. No que respeita ao pavilhão, as obras estão a decorrer e o maior constrangimento é a colocação do soalho”, garante ao Vivacidade a vereadora da Educação da Câmara Municipal de Gondomar, Aurora Vieira. “A obra está a decorrer de acordo com o previsto, só os prazos é que falharam. Lamento que isto aconteça sistematicamente em Rio Tinto. O atraso da obra era de três meses e não foi recuperado. O pavilhão já está em fase muito adiantada mas falta a colocação da pavimentação”, assegura ainda a autarca, também ex-diretora do estabelecimento escolar.

Alunos poderão ter aulas no Pavilhão de Fânzeres ou de Carreiros, em Rio Tinto

O agrupamento encontra-se em obras há seis anos e a autarquia assumiu o controlo da obra no pavilhão. O empreiteiro anterior não concluiu a obra e o novo empreiteiro deveria ter concluído a obra em 30 dias. “A empresa tinha-se comprometido a fazer a obra até ao fim do mês de janeiro, mas uma vez que não está concluída temos que deslocar os alunos”, explica a vereadora. “Em articulação com a escola fizemos um levantamento das turmas e da carga horária. A Câmara está em condições de comunicar à escola que a partir de agora será possível ter transporte e pavilhões para as crianças poderem fazer educação física”, comunica a vereadora.
O assunto será agora discutido em reunião de Conselho Geral, no dia 19 de fevereiro, mas a Associação de Pais já garantiu ao Vivacidade que não concorda com a sugestão do Município. “Em reunião de Associação de Pais não vamos aceitar esta solução. Não aceitamos a deslocação dos alunos. Mas formalmente não podemos fazer esta afirmação porque ainda não nos apresentaram esta solução. Independentemente da solução encontrada vamos promover junto dos pais que não existe a obrigação de deslocar os alunos”, afirma Carlos Monteiro, porta-voz e presidente da Assembleia Geral da Associação de Pais do Agrupamento de Escolas de Rio Tinto. “Queremos interrogar como é que os alunos cujos pais não aceitem a deslocação vão ser avaliados. A própria diretora da escola não soube identificar o período desta solução. Estas questões têm que ser respondidas antes de nos apresentarem esta solução”, refere o porta-voz. Carlos Monteiro não se conforma com a solução e duvida mesmo que o assunto seja aprovado no Conselho Geral. “Não acredito que estas soluções passem no Conselho Geral. Sabemos que se estas medidas avançarem vão ser tomadas outras medidas e estamos dispostos a apoiá-las. Queremos saber quem é que vai receber os alunos nos pavilhões. Conhecemos bem o pavilhão de Carreiros mas os balneários não têm capacidade para duas turmas. Propusemos que fosse colocada uma tenda e dois balneários modelares [contentores] onde permaneceriam os alunos”, esclarece. A vereadora mostra-se solidária com os alunos e diz mesmo que, neste momento, qualquer prazo é mau. A obra já devia estar concluída e qualquer dia a mais é mau” conclui.

Alunos sem aulas práticas de Educação Física mas com notas negativas

“A escola tem sido muito fustigada, apesar do esforço dos alunos, dos pais e professores. Terá havido alguns problemas na avaliação de educação física mas isso será a escola a definir”, comenta Aurora Vieira, que não se quis pronunciar sobre a avaliação aos alunos na disciplina. Em alguns casos, os estudantes estarão a ser avaliados negativamente na disciplina mesmo não tendo aulas práticas.
O Conselho Geral está previsto para o dia 19 de fevereiro na Escola EB 2,3 de Rio Tinto, onde será proposta a deslocação dos alunos para outros pavilhões nas aulas de Educação Física.

, ,