“Aqui entram placas de madeira e saem colunas”

André Correia, gestor da empresa, e António Correia, fundador ( Foto: Ricardo Vieira Caldas

André Correia, gestor da empresa, e António Correia, fundador ( Foto: Ricardo Vieira Caldas

“Estamos a equacionar fazer um segundo turno de fabricação”

Da fábrica de Rio Tinto saem algumas dezenas de colunas por dia, dependendo do modelo da produção. A produção por encomenda está a “correr muito bem”, garante André Correia e quase já não é possível “fazer um stock”. “Estamos a equacionar fazer um segundo turno de fabricação”, comentou.

Desde a carpintaria à montagem e pintura, a NEXT garante inclusive que nenhum equipamento sai das suas instalações sem um teste individual. “Fazemos toda a produção aqui e ainda fazemos um teste individual aos equipamentos produzidos. Posteriormente, as colunas são embaladas e passam para o armazém. Aqui entram placas de madeira e saem colunas. Temos a base de fabrico desde a carpintaria, a parte da montagem das madeiras de forma a construir a coluna e a pintura”, referiu André Correia.

A variedade de produtos vão desde à simples coluna à estrutura completa para um mega concerto. Quanto ao preço do produto: “Comparando com as marcas internacionais do mesmo patamar de qualidade estamos a 25 a 30% abaixo do preço praticado por essas marcas. Infelizmente Portugal tem uma mão de obra mais barata que nos permite ter preços mais acessíveis. A coluna mais barata que temos anda à volta dos 400€ e a mais cara custa cerca de 3500€, aproximadamente”, indicou o gestor.

Em Portugal, a firma garante que só existe mais uma empresa a competir no mesmo setor e a “concorrência pouco se sente”. Os festivais de verão, por exemplo, têm tido presença assídua do equipamento de som gondomarense. “Temos colunas em Paredes de Coura, Vilar de Mouros, Azurara Beach Party, Marés Vivas, entre outros espetáculos”, enumerou o gestor. No estrangeiro, a principal ‘rivalidade’ está na Alemanha, França e Estados Unidos da América. Apesar da alta competição, a empresa tem sido convidada a participar em projetos de grande envergadura [ver caixa]. “No mês passado começamos a trabalhar com um projeto italiano para construir o maior centro comercial do mundo, onde vão atuar artistas como a Rihanna, Jessie J, Robbie Williams, entre outros. É um orgulho estar representado neste projeto”, revelou o responsável. “Também equipamos os pavilhões gimnodesportivos da Gazprom e o edifício da Samsung na Coreia do Sul, por exemplo”, acrescenta.

,