Assalto ao cemitério de Baguim revolta população

Nuno Coelho, presidente da Junta de Baguim do Monte / Foto: Arquivo Vivacidade

Nuno Coelho, presidente da Junta de Baguim do Monte / Foto: Arquivo Vivacidade

Duas dezenas de candeeiros de campas e outros ornamentos do cemitério de Baguim do Monte foram furtados durante a madrugada de 9 de outubro.

A população de Baguim está revoltada com os estragos causados no cemitério da freguesia na noite de 8 para 9 de outubro. Cerca de 20 candeeiros de campas e outros ornamentos foram furtados por assaltantes que terão escalado o portão do cemitério.

O assalto deixou a população indignada, nomeadamente por uma das campas vandalizadas ser de um bebé que faleceu com apenas nove dias.

A Junta de Freguesia tem vindo a alertar os proprietários dos jazigos para que estes comuniquem os prejuízos às autoridades e fez queixa junto da PSP de Rio Tinto, no sentido de investigar o caso e chegar aos autores do furto.

Ao Vivacidade, Nuno Coelho, presidente da Junta, lamenta a situação. “Na altura dos fiéis acontecem casos destes em que os materiais furtados são posteriormente vendidos no mercado paralelo. Lamentamos que existam pessoas que aceitam comprar esses materiais e outras que os comercializem dessa forma”, refere o autarca.

Nuno Coelho considera ainda que a maior parte dos concessionários tem agora “o prejuízo monetário de recuperar os materiais furtado” e o prejuízo sentimental “que não pode ser ressarcido”.

, , , ,