Auditório Municipal de Gondomar remodelado até ao final do ano

O Auditório tem vários problemas de humidade e infiltração / Foto: Pedro Santos Ferreira

O Auditório tem vários problemas de humidade e infiltração / Foto: Pedro Santos Ferreira

A sala mais requisitada do concelho vai sofrer uma intervenção profunda que deverá ser concluída até ao final do ano. Luís Filipe Araújo, vice-presidente da autarquia e vereador da Cultura, explica o que vai mudar.

“Desde logo a maior alteração visível será na parte exterior do edifício que vai ser revestida com capoto, material de isolamento que irá provocar uma alteração importante do ponto de vista estético”, começa por referir Luís Filipe Araújo. O vice-presidente da Câmara de Gondomar e vereador responsável pelo pelouro da Cultura, lidera o processo de requalificação do Auditório Municipal de Gondomar, uma das infraestruturas mais requisitadas pelas associações do concelho.

Com uma taxa de ocupação a rondar os 100%, a sala nunca tinha sofrido nenhuma grande intervenção desde a sua inauguração e apresenta hoje vários problemas de infiltração, humidade e diversas falhas de segurança. “Qualquer pessoa que visitasse este espaço percebia que não havia condições essenciais para assistir a um espetáculo. No verão a sala ficava muito quente e no inverno muito fria. Esta intervenção era premente”, afirma o vice-presidente.

Para Daniel Fernandes, diretor do Auditório Municipal de Gondomar, os problemas são diários e necessitavam de uma solução urgente e eficaz. “Chegamos a ter espetáculos de teatro em que em cima do palco estavam 40º, uma situação insuportável para os artistas que ficavam rapidamente esgotados. Além disso, a nível musical, o calor alterava a própria acústica dos instrumentos e prejudicava a qualidade do espetáculo”, diz o responsável pela sala. Em 2007, uma auditoria revelou a necessidade de melhorar a segurança do edifício (saídas de emergência, acessibilidades para deficientes e medidas de combate a incêndios), mas nada foi feito desde então.

“Numa sala de espetáculos não podem ser colocadas cortinas a separar o palco da entrada do edifício. Esta situação prejudica a acústica da sala e põe em perigo os espectadores em casos de situações de emergência e de pânico”, refere Luís Filipe Araújo. Segundo o vereador da Cultura, vai ser também instalado um sistema de climatização que irá beneficiar a sala de espetáculos, a sala de exposições Júlio Resende e os camarins dos artistas.
Entre as várias alterações ao Auditório, está previsto um novo revestimento do chão e das paredes e um isolamento do sistema elétrico, que está caducado. “Temos um sistema de som que não está separado do sistema de eletricidade, logo há um conflito de potência que acaba por sobrecarregar o material utilizado”, sublinha Daniel Fernandes.

A maior alteração será no revestimento da parte exterior do edifício / Foto: Pedro Santos Ferreira

A maior alteração será no revestimento da parte exterior do edifício / Foto: Pedro Santos Ferreira

A remodelação contempla ainda a criação de novas aberturas para entrada de material no palco, algo que não era possível até agora. A criação de rampas de acesso e de casas de banho para pessoas com deficiências, nos camarins e para o público em geral, também está nos planos da autarquia.

“A lotação da sala não vai sofrer qualquer alteração, apesar da sala ser pequena para as necessidades que temos em Gondomar. Contudo, temos algumas restrições orçamentais que impedem essas melhorias”, diz o edil.

No total, a obra de requalificação vai custar cerca de 400 mil euros e o objetivo da autarquia é ter a remodelação concluída a tempo das festas de Natal, uma das épocas em que o Auditório é mais solicitado.

, , ,