Bloco de Esquerda quer “devolver o rio Tinto às pessoas”

BE Gondomar na Feira de Rio Tinto / Foto de Pedro Santos Ferreira

BE Gondomar na Feira de Rio Tinto / Foto de Pedro Santos Ferreira

O Bloco de Esquerda Gondomar realizou uma ação de sensibilização no dia 17 de janeiro, na Feira de Rio Tinto. O objetivo da iniciativa foi alertar a população para as pressões ambientais exercidas no rio Tinto. Pedro Filipe Soares, líder parlamentar do Bloco, associou-se à iniciativa.

“É necessário chamar a atenção das pessoas para a necessidade de dar passos concretos e resolver os problemas do rio Tinto”, explicava Rui Nóvoa, deputado da Assembleia Municipal, aos cidadãos que circulavam na Feira de Rio Tinto.

“Já não conseguimos suportar o mau cheiro. Eu moro perto do rio e é insuportável quando fazem descargas da ETAR”, queixava-se uma comerciante à comitiva do Bloco de Esquerda que procurava sensibilizar feirantes e clientes para a situação.

“Esta é uma forma de chamar a atenção para a falta de resposta para os problemas do rio, relacionados com descargas e rebentamentos de condutas. Queremos que a Câmara deixe de refugiar-se no contrato com a Águas de Gondomar porque cabe ao Município pôr fim a esta situação”, afirma o deputado municipal eleito pelo Bloco de Esquerda.

A iniciativa contou com o apoio de Pedro Filipe Soares, líder parlamentar do Bloco, e Alda de Sousa, ex-deputada europeia do partido.

“Durante o mandato que exerci na União Europeia (UE), levei este assunto à Comissão mas disseram que a solução era de competência nacional. Nestas matérias a UE não é capaz de defender o interesse público”, referiu Alda de Sousa.

Para Pedro Filipe Soares o problema “tem que ser solucionado”. “As pessoas queixam-se do mau cheiro do rio quando há descargas e a Câmara de Gondomar tem-se descartado de resolver este problema, apesar de haver a necessidade de uma pressão política que a autarquia tem que fazer”, destaca o líder parlamentar do Bloco, que não registou “melhorias significativas” após o investimento de quatro milhões de euros na ETAR do Meiral.

Durante a manhã os bloquistas apontaram os projetos desenvolvidos pelo Movimento em Defesa do Rio Tinto como um exemplo a seguir, após a resolução dos problemas do rio Tinto.

,