Cadela abandonada morreu com tiro de caçadeira

Cadela abatida a tiro - janeiro 2017

O animal terá sido “alegadamente” abatido a tiro / Foto: Direitos Reservados

Uma cadela que vivia na rua em São Pedro da Cova foi alvejada com tiros de caçadeira e teve de ser eutanasiada a 12 de dezembro. O atirador não foi identificado e o caso está a revoltar os defensores dos direitos dos animais.

No dia 11 de dezembro, Nuno Santos, 28 anos, foi alertado para uma cadela ferida em São Pedro da Cova, junto ao Museu Mineiro. Ao chegar ao local, o “defensor dos direitos dos animais”, apoiado por um elemento do executivo da União de Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova, assistiu o animal ferido, que teria sido baleado com tiros de caçadeira.

A cadela “tinha as patas feridas, quase desfeitas, como se tivesse sido baleada à queima roupa”, relata Nuno Santos, que levou imediatamente a “Pretinha” para uma clínica veterinária, onde lhe foram diagnosticadas lesões graves. A cadela acabou por não resistir aos ferimentos e foi eutanasiada no dia seguinte.

“Estamos claramente perante um caso de maldade. Muitas pessoas têm por hábito abandonar animais junto às Piscinas Municipais de São Pedro da Cova e esta cadela vivia nessa zona. Além disso, há um histórico de envenenamento de animais perto daquele lugar”, denuncia o defensor dos direitos dos animais.

Ao Vivacidade, Nuno Santos admitiu ainda ter intenção de participar o caso ao Serviço de Proteção da Natureza e Ambiente da GNR. O gondomarense espera agora “divulgar a situação para que não se repitam novos casos”, enquanto procura as crias abandonadas da cadela abatida a tiro.

Recorde-se que segundo a lei em vigor, “quem, sem motivo legítimo, infligir dor, sofrimento ou quaisquer outros maus tratos físicos a uma animal de companhia é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa até 120 dias”.

, , , ,