Câmara Municipal de Gondomar e Juntas de Freguesia comemoraram os 41 anos do 25 de Abril

Marco Martins, em discurso, na sessão solene

Marco Martins, em discurso, na sessão solene

As autarquias do concelho assinalaram a comemoração do 41º aniversário da Revolução dos Cravos com várias sessões solenes e discursos que recordaram o percurso do país após o 25 de abril de 1974.

Por todo o concelho multiplicaram-se as cerimónias que assinalaram os 41 anos após o golpe militar do 25 de abril de 1974 que pôs fim à ditadura. Na Câmara Municipal de Gondomar o presidente da Assembleia Municipal, Aníbal Lira, usou da palavra para recordar alguns dos momentos mais marcantes do século XX, desde a bomba de Hiroshima, em 1945, ao período de descolonização em África, em 1960, e ao fim da ditadura em Espanha, em 1975, para depois “recordar a data gloriosa do 25 de abril de 1974”.

Aníbal Lira alertou ainda para “um passado recente” que traz muita preocupação e deixou o repto aos que marcaram presença na sessão solene: “A classe política nunca poderá ignorar o que de essencial o povo lhes exige”.

Já Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, optou por assinalar a “obrigação de honrar a memória daqueles que durante décadas combateram a ditadura” e sublinhou que em Gondomar “existe todos os dias essa vontade de democratizar e honrar Abril”.

A cerimónia de hastear das bandeiras ao som de “A Portuguesa”, interpretada pela Banda Musical de Gondomar, antecedeu a sessão solene onde discursaram os representantes dos partidos com assento na Assembleia Municipal.

(Caixa) O que disseram os partidos:

“[Em discurso dedicado a Salgueiro Maia e José Lobo, do PS Ermesinde] Os nossos governantes não conseguem fazer valer a liberdade que Abril nos trouxe. Prometo que lutarei até ao fim como o capitão” – Ana Catarina Pão Trigo, PS

“O espírito de Abril está nos sonhos de todos nós e apesar do caminho percorrido muito mais há para percorrer. A chama de Abril de 1974 deverá estar presente dentro de todos nós” – Idalina Pereira, PSD

“O 25 de Abril significa o reencontro do país com o seu futuro, com o desenvolvimento e modernidade. O Portugal de hoje é manifestamente diferente daquele que existia há 41 anos” – Pedro Moura de Oliveira CDS-PP

“Abril foi o tempo de todas as esperanças, convictos de que se caminhava para uma sociedade verdadeiramente livre e justa, porém hoje assistimos e sofremos na pele a violação do que conquistamos e assistimos a novas formas de escravidão” – Rui Nóvoa, Bloco de Esquerda (BE)

“Quarenta e um anos passados não foram os suficientes para destruir Abril, tal a dimensão e o significado dessas conquistas. Comemorar Abril não se faz um dia por ano, comemorar Abril é defender as suas conquistas económicas, políticas e sociais todos os dias” – António Valpaços, CDU

, , , ,