Centro de Gondomar já tem Horta de Subsistência

Foto: Rita Lopes

Foto: Rita Lopes

A Horta de Subsistência de S. Cosme foi inaugurada a 5 de junho. O projeto integrado no programa “Horta à Porta” da LIPOR é composto por 56 talhões disponíveis para agricultores de todas as idades.

O projeto de criação de hortas biológicas da LIPOR tem mais um espaço em Gondomar, o terceiro no concelho. Desta vez foram inaugurados 56 talhões, cada um com 25 metros quadrados disponível, que ficam agora à disposição de “novos” agricultores no centro de S. Cosme.

Coube ao presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Marco Martins, e presidente da União de Freguesias de S. Cosme, Valbom e Jovim, José António Macedo, descerrar a placa que dá acesso ao terreno cedido à comunidade por Alice Castro Neves.

Após o ato formal os autarcas destacaram a importância da implementação do mais recente espaço verde de Gondomar e sublinharam a necessidade de promover parcerias com as entidades públicas e privadas.

“Através da sinergia das instituições públicas e privadas tudo é possível. Espero que os novos agricultores possam usufruir deste espaço”, afirmou o presidente do Município antes de desafiar a Lipor a abrir uma nova horta no concelho “até ao final de 2015”.

Para José António Macedo, a inauguração da Horta de Subsistência de S. Cosme representou o “concretizar de um sonho antigo”. Segundo o autarca, o objetivo da Horta é “incentivar o sentimento de partilha, a vida em comunidade, a reutilização de produtos biológicos e a promoção de hábitos de vida saudável”.

Por sua vez, a responsável da LIPOR, Benedita Chaves, destacou a evolução do projeto Horta à Porta, inaugurado em 2004 pela empresa de gestão de resíduos. “Onze anos depois estamos a inaugurar este espaço e temos neste momento 45 hortas semelhantes a esta, com mais de 10 hectares cultivados em com produção biológica”, referiu a representante da LIPOR.

O Horta à Porta – Hortas Biológicas do Grande Porto, é um projeto que visa promover a qualidade de vida da população, através de boas práticas agrícolas, ambientais e sociais.

Dos 56 talhões disponíveis em S. Cosme, cerca de metade já foi entregue a “novos agricultores”. Contudo, José António Macedo não descartou a possibilidade de vir a ampliar o número de talhões disponíveis para a comunidade. Recorde-se que a Horta de Subsistência de S. Cosme privilegia a atribuição de talhões a agregados familiares carenciados.

, , ,