Centro Revolucionário Mineiro em destaque na freguesia, 40 anos depois

Pedro Fernandes Aguiar e "Tia Aurora", visitantes da exposição

Pedro Fernandes Aguiar e “Tia Aurora”, visitantes da exposição

Há 40 anos, a 22 de Maio de 1975, iniciava o processo revolucionário em S. Pedro da Cova, “um dos mais intensos do país”, segundo o presidente da União das Freguesias de Fânzeres – São Pedro da Cova, Daniel Vieira. Agora, quatro décadas depois, o Museu Mineiro de São Pedro da Cova inaugura a exposição que conta, em fotografias e documentos, o que se viveu na freguesia por altura do PREC e da ocupação dos escritórios das minas.

São várias dezenas de fotografias, documentos, memórias e até vídeos e áudios que compõem a exposição sobre o Centro Revolucionário Mineiro, aberta ao público no dia 23 de maio, no Museu Mineiro de S. Pedro da Cova.

Paralelamente, a União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova dinamizou também, a 22 de maio, um conjunto de iniciativas alusivas à data, com um monólogo por José Susano e música dos Vox Populi. A União vai ainda lançar, a 12 de junho pelas 21h30, no auditório da Junta de S. Pedro da Cova, um livro de Serafim Gesta “Mazola”, ‘Um Grito Rompe o Silêncio’.

, , , ,