CINDOR já formou mais de 4000 pessoas na indústria da ourivesaria e relojoaria

Cindor- Novembro 2016

Eunice Neves, Diretora do CINDOR

Fundado em 1984, através de um protocolo celebrado entre o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) e a Associação dos Industriais de Ourivesaria e Relojoaria do Norte, o CINDOR – Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria, permanece hoje como o único centro de formação do país, neste setor. Sediado em Gondomar (São Cosme), o CINDOR já formou mais de 4000 pessoas.

Gondomar, terra com ligações históricas à ourivesaria e à filigrana, tem, no centro do concelho (São Cosme), o único Centro de Formação Profissional da Indústria de Ourivesaria e Relojoaria do país. O CINDOR atrai milhares de formandos, jovens e adultos, com vontade de aprimorar competências de design, criatividade, comunicação e produção no setor.

“O objetivo é formar e trabalhar os recursos humanos nas áreas de formação ligadas à ourivesaria. A nossa formação não existe só nesse âmbito, mas admitimos que esse é o nosso foco principal”, afirma Eunice Neves, diretora do CINDOR, em entrevista ao Vivacidade.

O centro de formação disponibiliza cursos de formação para jovens, adultos, formadores, empregados e desempregados. Técnico de Ourivesaria, Técnico de Multimédia, Técnico de Informática e Técnico Comercial, são algumas das saídas profissionais proporcionadas pelo CINDOR.

“Este setor tem mudado rapidamente, por isso temos necessidade de adaptar as nossas formações às exigências do mercado da ourivesaria e relojoaria. Cada vez mais, precisamos de técnicos capazes e competentes no trabalho de banca, mas também são necessários designers capazes, fotógrafos de joias, publicitários e empreendedores”, acrescenta Eunice Neves. Segundo a diretora do CINDOR, o setor da ourivesaria “cresceu, nos últimos dois anos, 500% no que diz respeito à exportação”.

Para o futuro, a diretora do centro de formação espera reforçar a aposta na divulgação da marca CINDOR e internacionalizar a instituição.

“Estamos a trabalhar cada vez mais a internacionalização do CINDOR. Temos vindo a desenvolver essa lógica de interligação com outras escolas de formação no estrangeiro e um dos nosso objetivos é lançar um curso especializado para a internacionalização no setor”, conclui a diretora do CINDOR.

Refira-se que pelo CINDOR já passaram mais de 4000 pessoas. Atualmente o centro de formação conta com 600 formandos.

, , , ,