Clube Gondomarense comemora 110 anos com vasto programa cultural

Manuel Rosas abriu a sessão que contou com a presença de Luís Filipe Araújo/ Foto: José Pedro Oliveira

Manuel Rosas abriu a sessão que contou com a presença de Luís Filipe Araújo/ Foto: José Pedro Oliveira

No dia 21 de maio, o Clube Gondomarense celebrou o seu 110.º aniversário. Ao longo do mês têm-se realizado inúmeras atividades para celebrar esta data.

Para abrir da melhor forma foi hasteada a bandeira, juntamente com a colaboração da Banda Juvenil de Gondomar que permitiu um espetáculo musical. Paralelamente decorreu a exposição “Gondomar: Memórias Fotográficas”.

A Roda de Choro do Porto deu um concerto com música popular brasileira, juntando músicos de diferentes gerações. Onofre Varela, reconhecido cartunista, também deixou o seu contributo inaugurando uma exposição e discursou numa palestra acerca da “Liberdade de Expressão”. O Clube ainda recebeu movimentos de Dance Music, Pilates e Titmix. Foi palco dos “Vox Populi” e a poesia não foi esquecida, permitindo que se recitassem poemas.

Na comemoração do aniversário, o Clube recebeu dezenas de sócios e simpatizantes para a celebração. Durante a cerimónia, Manuel Rosas, presidente da coletividade, pode contar com a presença do vice-presidente da Câmara de Gondomar, Luís Filipe Araújo e do sócio número um do clube, José Emílio Monteiro, na mesa principal.

O discurso de Manuel Rosas fica marcado pela ideia dos “três R”: recuperar, rejuvenescer e revitalizar, como resposta ao ciclo de crise que o clube vive. Todavia, esta coletividade pretende continuar a apoiar e divulgar os trabalhos dos gondomarenses. Para isso ser possível é necessário a participação de todos, incluindo os sócios.

Em declarações ao Vivacidade, Manuel Rosas admitiu que o Clube passa por muitas dificuldades. “A vontade de querer fazer é de tal forma grande que estamos a tentar superá-las. Não temos conseguido ultrapassar as questões financeiras, devido ao seu volume”, esclareceu o presidente.

Luís Filipe Araújo também teve a oportunidade de discursar em nome do presidente Marco Martins. O vice-presidente chegou a afirmar que o Clube Gondomarense é “um símbolo histórico de Gondomar” e que acredita que este projeto irá resultar graças às pessoas com vontade, que têm ajudado a erguer esta associação. Admitindo que a Câmara pode ceder “materiais e apoio técnico”, o mesmo disse que as instituições necessitam de vida. “Podemos construir edifícios enormes mas sem vida ficam reduzidos a cinza”, afirmou.

Entre agradecimentos às associações e homenagens aos sócios com 25 e 50 anos de ligação à coletividade, ainda foi possível ouvir um poema recitado por Cidália Santos, em honra do histórico Clube Gondomarense. Por fim, um aniversário tem de ter bolo, e este também não faltou à festa.

, , ,