Concurso Internacional de Música fez sucesso e regressa em 2019

Concurso Internacional de Música - abril 2018

Filipe Fernandes e Daniel Fernandes junto à sede da Banda Musical de Gondomar / Foto: Pedro Santos Ferreira

Entre os dias 24 e 28 de março, o Multiusos e o Auditório Municipal foram palcos do 1.º Concurso Internacional de Música, dedicado à percussão. A iniciativa resulta de uma parceria entre o Município e a Banda Musical de Gondomar.

A 1ª edição do Concurso Internacional de Música (CIM) contou com 72 inscritos, divididos entre quatro categorias. Em comum tinham a paixão pela percussão, género musical em destaque nesta edição.

Agostinho Sequeira, 1.º classificado na categoria D, Francisco Fernandes, categoria C, Paulo Amendoeira, na categoria B, e António Campos, na categoria A, foram os vencedores do CIM. A entrega de prémios teve lugar a 28 de março, no Auditório Municipal de Gondomar.

“Todas estas iniciativas têm como finalidade a promoção do ensino musical e do bem comum. A vossa participação, experiência e partilha de conhecimentos fazem este concurso ter sentido”, disse Daniel Fernandes, presidente da direção da Banda Musical de Gondomar, em discurso.

Já Luís Filipe Araújo, vereador da Cultura do Município de Gondomar, admitiu que a autarquia “não pode dizer que não a nenhum projeto que tenha valor”. “Em Gondomar, seguimos esses valores e não abdicamos deles. Estamos sempre disponíveis para mais projetos como este, mas é preciso que cada um de nós faça a sua parte quando tem essa oportunidade”, salientou o autarca, lembrando que na Cultura “o desperdício é mínimo”.

No próximo ano, o evento deverá repetir-se, dando destaque a outro instrumento.

“Superamos a nossa meta inicial”
Em discurso direto, Filipe Fernandes, mentor do CIM, revela ao nosso jornal que a aposta na percussão “não foi ao acaso”. “Fez-se porque esta classe está em desenvolvimento e tem motivado uma grande participação neste tipo de concursos. Tínhamos uma meta inicial de quarenta inscrições, mas conseguimos superar essa marca”, afirma o organizador do evento.

Inspirado no concurso musical da Covilhã, Filipe Fernandes trouxe a ideia para Gondomar, vincando “um forte cariz pedagógico, para que não se ficasse apenas pelo caráter competitivo”. A escolha do júri, que contou com nomes de prestígio na percussão, também despertou o interesse dos candidatos, traduzindo-se num “balanço muito positivo”.

Para Daniel Fernandes, da Banda Musical de Gondomar, o CIM foi “uma alegria imensa”. “A coletividade está a crescer de uma forma sustentada. Queremos sempre fazer mais e melhor, tendo sempre a noção que o nosso trabalho é para a comunidade, não para nós”, refere o dirigente associativo.

Ampliação da sede vai avançar
A ampliação da sede da Banda Musical de Gondomar (BMG) está em marcha. O projeto foi recentemente aprovado pelo Município. A ampliação deverá corresponder também à criação de um estúdio no edifício da BMG.

, , , ,