Conselho Metropolitano do Porto vai impugnar concessão das linhas da STCP

Conselho Metropolitano do Porto 2015

A reunião do CMdP realizou-se na sede da Área Metropolitana do Porto / Foto: DR

O Conselho Metropolitano do Porto decidiu, esta sexta-feira, que vai impugnar as alterações aprovadas pela Autoridade Metropolitana de Transportes do Porto na última reunião do Conselho Executivo, que têm o objetivo de alargar a concessão das linhas operadas pela Sociedade de Transportes Coletivos do Porto.

A decisão da Autoridade Metropolitana de Transportes (AMTP) de alargar a concessão das linhas atualmente operadas pela STCP num prazo de 10 anos, realizada sem dar conhecimento prévio aos municípios, levou os autarcas que compõem o Conselho Metropolitano do Porto (CMdP) a decidir, esta sexta-feira, impugnar a decisão. Na reunião do CMdP foi também aprovada a necessidade de obter um “esclarecimento cabal” sobre a decisão do Conselho Executivo da AMTP. Os autarcas aprovaram ainda a constituição de um grupo de trabalho interno que irá acompanhar “todos os mecanismos inerentes às novas funções que a AMP vai assumir na gestão dos transportes a partir de 9 de agosto”, resultado da extinção da AMTP. O grupo formado vai reunir com todos os municípios implicados na decisão para perceber o impacto em cada um deles.

Fundos comunitários preocupam autarcas do Norte

Verbas escassas e insuficientes para a região Norte. Foi esta a mensagem deixada pelo CMdP na reunião. No entanto, os autarcas manifestaram esperança num “possível reforço” das verbas disponíveis para o Norte de Portugal.

“Os recursos financeiros atribuídos à AMP representam 26% para resolver 55% dos problemas identificados no Pacto de Desenvolvimento e Coesão Territorial AMP 2020”, afirmou Hermínio Loureiro, presidente do Conselho Metropolitano do Porto. O autarca revelou que caso a AMP seja chamada a pronunciar-se sobre uma decisão final será convocado um Conselho Metropolitano extraordinário.

Foi ainda lembrado que o trabalho realizado no Pacto de Coesão, classificado de “bom” pela sentida de gestão, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N).

Por fim, o CMdP sublinhou que não vai entrar em discussões com as Comunidades Intermunicipais (CIM) e que “lutará por mais verbas para o norte”, lado a lado com as restantes CIM.

, ,