Cristiano Castro: “Consideramos que a CDU é a única oposição construtiva em Gondomar”

Entrevista Cristiano Castro - março 2017

Cristiano Castro, responsável da DORP pela Comissão Concelhia do PCP em Gondomar / Foto: Pedro Santos Ferreira

Cristiano Castro, 35 anos, faz parte do executivo da Direção da Organização Regional do Porto (DORP) e é responsável pelo acompanhamento da concelhia do PCP em Gondomar. Ao Vivacidade, o comunista destaca o trabalho desempenhado pelo partido no decorrer deste mandato e aponta “o reforço da CDU” como objetivo nas próximas eleições autárquicas.

Que balanço faz o PCP Gondomar deste mandato, tendo em conta o que foi feito e o que ficou por fazer da parte do executivo socialista?
A avaliação que o PCP faz divide-se em dois campos: a avaliação que fazemos da ação do executivo socialista e a avaliação que fazemos da ação dos nossos eleitos.

Relativamente ao nosso mandato, consideramos que foi extremamente positivo. Ou seja, o reforço dos nossos eleitos nos vários órgãos autárquicos de Gondomar permitiu-nos criar novas condições para podermos intervir de uma forma ainda mais ativa. Dentro das nossas possibilidades, tivemos uma intervenção positiva e com grande capacidade interventiva.

Obviamente, no caso de Fânzeres/São Pedro da Cova temos uma demonstração clara do nosso trabalho, porque estamos em maioria. Esse trabalho extravasa a própria realidade da freguesia e do concelho. A presença no executivo da União de Freguesias de Gondomar, Valbom e Jovim também nos permitiu outra capacidade de intervenção.

No que diz respeito à vereação, onde estivemos sem representação durante vários anos, apresentamos as nossas propostas na Educação, Cultura, Transportes, entre as diversas áreas da sociedade. Consideramos que a CDU foi, durante este mandato, a única oposição construtiva em Gondomar.

No que toca à avaliação do executivo socialista, julgamos que este foi um mandato panfletário. Um mandato de propaganda e que vive muito da publicidade e para a publicidade. Este executivo procura fazer alguma coisa, mas mostra sempre mais do que aquilo que faz.

É capaz de referir alguns exemplos?
Basta lembrar o caso da expansão da linha do Metro para Gondomar. O PS assumiu, em 2013, que esta seria uma medida prioritária para este mandato e mais uma vez falhou. Naturalmente, sabemos distinguir as responsabilidades e não culpamos só a Câmara de Gondomar. Existe uma responsabilidade direta da Administração Central.

Não verificamos uma clara postura de reivindicação. O Município apresentou uma linha alternativa mas esqueceu a ligação da linha de Fânzeres ao centro de Gondomar (São Cosme). O que aconteceu foi um compromisso vazio, com um mau posicionamento da autarquia em relação a este assunto.

Outro exemplo foi a questão do saneamento. O aspeto mediático iludiu a realidade, porque existem muitos locais sem saneamento em várias zonas do concelho como, por exemplo, a zona da Belavista, em São Pedro da Cova. Em Gondomar, a rede de saneamento está longe dos 100%.

O Parque Urbano de Rio Tinto também é de extrema importância e, nesse processo, a crítica da CDU está relacionada com as sucessivas adaptações que o projeto original vem sofrendo. O projeto do parque não é público e estamos a falar do maior parque urbano do concelho.

O reforço da CDU na Câmara Municipal de Gondomar foi um dos grandes objetivos nas Autárquicas 2013. Na vereação o dever foi cumprido?
Julgo que sim. A eleição de um vereador permitiu-nos criticar a Câmara de Gondomar no que diz respeito a várias questões, tais como a municipalização da Educação, por exemplo.

Quanto mais força tivermos, melhor podemos ir ao encontro das necessidades dos gondomarenses. Em S. Cosme, Valbom e Jovim temos os pelouros da Cultura e da Educação e 90% das propostas nesses campos vêm da eleita da CDU. Em Fânzeres/São Pedro da Cova, existe uma oferta cultural muito vasta e até superior a alguns municípios. Isso permite aos eleitores perceber as nossas capacidades.

Ao longo deste mandato a CDU criticou, por diversas vezes, a municipalização dos serviços de educação, saneamento e limpeza de resíduos…
Acreditamos que a municipalização desses serviços serve para a Câmara se esquivar a essas responsabilidades. Fizemos uma proposta para a autarquia indagar os locais por tratar, os atrasos nas limpezas, entre outros casos, e o Município negou-se a fiscalizar essas situações.

Em 2013, a CDU ficou perto de eleger o segundo vereador na Câmara Municipal de Gondomar. Esse será o grande objetivo nas Autárquicas 2017?
A CDU não trabalha em função de metas quantitativas. Neste momento, estamos a procurar fazer um balanço da nossa ação neste mandato. O que importa focar é que temos experiência e trabalho que demonstram as vantagens de reforçar a nossa posição, mas não pensamos no números de votos.

Queremos reforçar as nossas posições e estamos disponíveis para novos desafios. Acreditamos que é possível conseguir mais do que aquilo que já conseguimos.

A CDU já tem candidato à Câmara Municipal de Gondomar?
Ainda estamos a preparar as Autárquicas a nível interno. A CDU não existe apenas nos períodos eleitorais. Os nossos objetivos são o cumprimento das aspirações das populações.

Em Gondomar, temos quadros com capacidade para avançar nos vários órgãos autárquicos, pessoas com capacidade para cumprir o projeto da CDU.

Daniel Vieira, presidente da União de Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova, seria um bom candidato à Câmara de Gondomar?
Naturalmente que sim. O Daniel Vieira é uma das pessoas com capacidade para representar o projeto da CDU. É um militante que encabeça o projeto da CDU em Fânzeres/São Pedro da Cova e o partido orgulha-se desse exemplo, que espelha a obra da CDU.

Quando falamos no Daniel Vieira não esquecemos o coletivo que desempenha um trabalho muito importante naquela União de Freguesias.

Contudo, o candidato só será decidido após a decisão do projeto autárquico da CDU, que será uma continuidade daquilo que tem sido feito.

Estamos preocupados com o nosso projeto e queremos pensar na melhor forma de dar resposta aos problemas do concelho na Habitação, nas freguesias do Alto Concelho, no Parque das Serras do Porto, entre outras questões que queremos ver respondidas.

Qual será o vosso maior objetivo perante os gondomarenses?
Estamos a trabalhar sob o lema “trabalho, honestidade e competência”, porque acreditamos que estas palavras traduzem, de uma forma sintética, a ação da CDU nos últimos anos. Quem votou em nós pode agora olhar para os eleitos da CDU e perceber que sempre estivemos lá para os defender.

Queremos ter mais capacidade de resposta para corresponder às necessidades da população e dos trabalhadores. Esta iniciativa política só é possível com mais eleitos, maior número de mandatos e mais responsabilidades. Acreditamos que a CDU sairá reforçada nestas eleições, tendo em conta o trabalho que fizemos até hoje.

, , ,