Todos pela A. Desportiva S. Pedro da Cova

IMG_1114Mais de 400 pessoas uniram-se numa caminhada pela coletividade

O Estádio do Laranjal, em S. Pedro da Cova, recebeu, no dia 12 de abril, mais de 400 pessoas numa ação solidária pela Associação Desportiva que se encontra numa grave situação financeira.

A ideia surgiu porque estamos a passar uma fase muito difícil. Um grupo de jovens entendeu realizar este evento para unir a população à coletividade, para bem da freguesia. Temos cerca de 500 camisolas e temos confirmadas cerca de 400 pessoas. Cada pessoa comparticipa com três euros na compra da t-shirt”, explica ao Vivacidade, Carlos Rodrigues, presidente da Associação Desportiva de S. Pedro da Cova. O dirigente confessa que está “sempre à espera de más notícias.” “O estádio está penhorado pelas finanças de Gondomar e estamos sempre à espera de um novo leilão. Temos receio de ver alguém a adquirir este património de dois milhões e meio de euros, por apenas um euro. A única entidade que podia salvar o S. Pedro da Cova era a Câmara de Gondomar, através de um acordo com as Finanças. Para salvaguardar o património. A Câmara diz-nos que não pode adquirir um bem doado mas temos quem nos diga que isso é possível”, informa o presidente. Arnaldo Aguiar, um dos organizadores da caminhada solidária, vai mais longe. “Este problema extravasa a direção. O clube representa a freguesia e a freguesia tem que unir-se por ele. Tem cerca de 170 atletas de formação e é preciso fazer alguma coisa”, afirma.

Da parte da Câmara Municipal de Gondomar (CMG), o vereador José Fernando Moreira, que também marcou presença na ação reconhece a importância da associação no concelho mas rejeita a hipótese da aquisição do estádio por parte da autarquia. “A CMG está consciente que o S. Pedro da Cova é um clube a ter em conta, porque dignificou esta freguesia e o Município. O S. Pedro tem problemas financeiros muito graves que complicam a atribuição de subsídios. A CMG tem feito um grande esforço para apoiar o novo clube, com a entrega de um subsídio de 5 mil euros e posteriormente um de 7.500 euros. Estamos sempre de portas abertas. Fazemos questão de marcar presença, porque estamos atentos. Isto não vai ser resolvido facilmente, mas tem ficado demonstrado que o S. Pedro da Cova é para continuar”, refere o vereador. Quanto à aquisição do estádio “nunca esteve em cima da mesa”, esclarece o autarca.

Desaparecimento do clube seria “uma perda enorme para a freguesia”

“Um perda enorme para a freguesia” é como Daniel Vieira, presidente da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova, define a possível a ausência do clube da região. “O S. Pedro da Cova foi e continua a ser um dos clubes que mais pessoas traz ao seu estádio e isso prova que a população está identificada com o clube. Seria uma perda enorme para a freguesia. Os problemas são públicos e todas as iniciativas que visam contribuir financeiramente e o envolvimento da população são importantes”, indica o presidente. No que diz respeito à caminhada solidária, o autarca diz que “a adesão mostra que a preocupação reconhece a importância e representatividade desta instituição para a freguesia.” “É uma equipa com história e com um trabalho importante pelo envolvimento dos jovens na atividade desportiva”, explica Daniel Vieira.

, , ,