D’Ouro Run regressa a Gondomar com meia maratona

Marginal do rio Douro cortada para a realização da prova/ Foto: Arquivo Vivacidade

Marginal do rio Douro cortada para a realização da prova/ Foto: Arquivo Vivacidade

A marginal do Douro, em Gondomar, vai acolher a 28 de junho a segunda D’Ouro Run, desta vez com um aumento no percurso para meia maratona e um limite de quatro mil inscritos.

A garantia de qualidade é garantida por Carlos Ferreira, da organização do evento. A segunda D’Ouro Run traz mudanças no percurso e no rigor da prova e conta já com mais de 1500 inscritos.

“Nesta edição a grande mudança é o percurso. Na 1ª edição traçamos um percurso de 15 quilómetros e notamos que os atletas e as pessoas queriam mais. Tínhamos condições para fazer a meia maratona e muita gente solicitou-nos isso. Aceitamos o desafio e concretizamos esse projeto que já fazia parte do nosso objetivo”, explica ao Vivacidade o organizador da D’Ouro Run. O objetivo é “mostrar a capacidade de Gondomar e vincá-la no calendário desportivo a nível nacional.” “Esta é a 1ª edição como meia maratona e temos inscrições do sul do país, de Espanha, da Eslovénia, um Inglês e outros internacionais”, menciona Carlos Ferreira. A organização garante já ter mais de 1500 inscrições, metade das quais para a meia maratona.

“Este ano temos a meia maratona, com um percurso de 21 quilómetros sempre junto à margem do Douro e com 4000 atletas [limite estabelecido pela organização], número que nos proporciona a garantia de qualidade e bons abastecimentos, de 2,5km em 2,5km. Vamos providenciar água, chuveiros e esponjas de apoio ao longo do percurso”, esclarece ainda o proprietário da EventSport, empresa que partilha a organização com o Município.

Percursos para todos os gostos

Com a inclusão da meia maratona na prova da D’Ouro Run, o evento passa a disponibilizar aos participantes três vertentes desportivas: a caminhada, de 5 km, a mini maratona, de 10km, e  a meia maratona, com os 21km.

Paralelamente, a D’Ouro Run vai dinamizar, em parceria com outras instituições, várias atividades ao longo da marginal do rio Douro. “Este ano vamos manter a parceria com um ginásio do concelho, com aulas de zumba e animação ao longo do percurso. Vamos colocar pontos sonoros de música como incentivo aos atletas que vão correr os 21km e no nosso local de encontro vamos ter pontos de distribuição dos nossos parceiros”, elucida Carlos Ferreira.

Evento desportivo orçado em cerca de 40 mil euros

Com o aumento de inscrições e a aposta na meia maratona, a organização aponta os custos da prova para um valor que ronda os 35 a 40 mil euros. “Da nossa parte exige um grande investimento e dedicação de horas de trabalho. Esta prova só é possível com o apoio dos patrocinadores que acreditam neste projeto. A Câmara de Gondomar apoia logisticamente e contamos com o apoio da vereação do Desporto e do presidente Marco Martins. O valor irá ser público, não quero ser eu a antecipar a verba”, refere Carlos Ferreira.

A segunda edição da D’Ouro Run vai trazer várias novidades para os participantes incluindo a medalha, produzida por uma empresa riotintense, que Carlos considera “uma obra de arte”.

Para o dia 28 de junho haverá apenas um problema, na opinião do organizador: “Acredito que vamos ter o problema de dizer às pessoas que não aceitamos mais inscrições. É um evento muito falado e muito apetecido. Vamos fechar os 4000 participantes antes da data prevista. O nosso objetivo é dar condições de segurança aos atletas. Todos vão ter um seguro de participação”, garante.

 

, , , , ,