Entrevista a Mário Gonçalves (Movimento Independente): “Distribuir sorrisos já não chega”

Sendo esta a primeira candidatura do Movimento Independente a uma Junta de Freguesia, o que poderá o Movimento fazer pelas freguesias?
Há uma realidade política em que os partidos são empresas. Nós [Movimento Independente] resolvemos em reunião o que iremos fazer, estudando sempre a melhor opinião. Resolve-se tudo muito rápido e nos partidos não é assim.

Que obras se propõe fazer no caso de vencer as eleições?
Em Fânzeres tenho que olhar para as ruas e passeios. Em S. Pedro da Cova vamos trabalhar na mesma área: ruas que precisam de ser alargadas e pavimentos que é preciso recuperar.

Concorda com a união de freguesias?
Concordo. A média do cidadão português vai, durante a sua vida, uma vez de 10 em 10 anos, à Junta de Freguesia. Quem diz que as Juntas não deviam ser extintas são as tais empresas políticas que não têm onde meter os militantes.

No caso de vencer as eleições vai centralizar os serviços das freguesias?
Qualquer cidadão de S. Pedro ou de Fânzeres terá sempre a sua Junta ao serviço. Vão estar lá funcionários para receber as pessoas e tratar as situações dos cidadãos.

, ,