Feira de Artesanato despediu-se do Largo do Souto

Esta pode ter sido a última edição da Feira de Artesanato no Largo do Souto / Foto: Pedro Santos Ferreira

Esta pode ter sido a última edição da Feira de Artesanato no Largo do Souto / Foto: Pedro Santos Ferreira

De 31 de maio a 8 de junho o Largo do Souto, em Gondomar (S. Cosme), recebeu a XXVI Feira Nacional de Artesanato de Gondomar. O recinto composto por 65 expositores foi animado pelos artesãos e artistas gondomarenses Broa de Mel e Nelo Silva. Em 2015, o evento poderá mudar de local.

Cestas, pulseiras, carteiras, anéis, presépios, ginjinha e música de artistas da terra animaram a XXVI Feira Nacional de Artesanato de Gondomar. O certame organizado pela autarquia contou este ano com 65 expositores “de Bragança ao Seixal”, que desde o dia 31 de maio a 8 de junho estiveram presentes no Largo do Souto, em S. Cosme.

José Fernando Moreira, vereador responsável pelo pelouro das Feiras, Mercados e Eventos Promocionais, destaca a melhoria na comunicação e imagem nesta edição da feira. “De evento para evento devemos sempre tentar fazer diferente. Percebi que era possível melhorar a comunicação e a imagem do evento e foi isso que fizemos com espetáculos diversificados, artesãos locais e nacionais e referências musicais de Gondomar”, afirma o principal responsável pelo evento.

Durante os nove dias da Feira de Artesanato, o Largo do Souto foi dinamizado por diversos espetáculos a cargo das associações do município. Os Broa de Mel e Nelo Silva, artistas locais, atuaram nos dois palcos do recinto, na inauguração e no encerramento da festa, respetivamente.

“Um dos grandes objetivos do certame foi a promoção da arte, cultura e atividade económica de Gondomar. Penso que conseguimos cumprir essa meta e é importante realçar que esta é uma das poucas feiras que paga estadia, almoço e jantar aos artesãos que vivem a mais de 20 quilómetros”, afirma José Fernando Moreira.

Com opiniões distintas, os artesãos dividem-se ao classificar a 26.ª edição da Feira de Artesanato. Se para uns o balanço final é positivo, outros queixam-se da ausência de uma vertente gastronómica e das fracas vendas. Para o vereador da Câmara de Gondomar, esta foi apenas a “primeira mudança” da feira. Em 2015, a mostra pode dizer adeus ao Largo do Souto e mudar de localização. “Sei que não é fácil, mas no próximo ano gostaria de contar com uma mudança de localização para aumentarmos a quantidade e a qualidade dos artesãos. Certo é que vai haver nova edição e que o artesanato vai regressar a Gondomar”, conclui o autarca.

,