Fernando Duarte: 40 anos de causa pública

Homenagem a Fernando Duarte

O homenageado (ao centro) discursou perante cerca de 300 pessoas / Foto: DR

O “quase eterno” presidente da direção da Associação Social “Vai Avante” foi homenageado. Juntaram-se políticos, dirigente associativos e amigos. Muitos.

Quarenta anos de dedicação à causa pública serão merecedores de homenagem? Uma vida inteira ligada ao associativismo merece destaque? Pode, alguém, ser “premiado” por ajudar a ajudar os outros? Mais de três centenas de pessoas responderam afirmativamente a todas estas questões. E, em festa, marcaram presença no jantar de homenagem a Fernando Fernandes Duarte, o “quase eterno” presidente da direção da Associação Social “Vai Avante”.

A Quinta da Igreja, em Fânzeres, foi o local escolhido para se juntarem muitos amigos, dirigentes associativos, empresários, políticos (atuais e que já estiveram em funções), bem como uma vasta comitiva de funcionários da instituição liderada por Fernando Duarte. A noite de 22 de fevereiro teve como “aperitivo” uma atuação do Grupo de Dança “Roda Viva”. Depois, foi o jantar. E, à “sobremesa”, apenas três intervenções…

Eram muitos os que pretendiam deixar palavras de elogio a Fernando Duarte. E muitos mais foram os que enviaram mensagens escritas (a justificar ausências imprevistas). Além de lembranças, igualmente em quantidade.
Fernando Duarte não conseguiu esconder alguma comoção. Afinal, como o próprio frisou, “estou rodeado de amigos, de pessoas com as quais, uma a uma, podia contar-vos e convosco partilhar as aventuras que tivemos”. Afinal sempre são quatro décadas de dedicação à causa pública. Com os últimos 24 anos como responsável pela Associação Social “Vai Avante” – uma instituição que, em curto período, passou de uma atividade praticamente residual para o estatuto de uma das maiores coletividades do concelho de Gondomar.

“Mas se pensam que esta homenagem, que assinala o fim de um ciclo, implica que irei deixar de vos chatear e de manter a minha atividade diária, estão muito enganados!”, disse Fernando Duarte. Aliás, “ameaçou”, a antecipação da reforma como funcionário da Câmara de Gondomar “até me deixa mais disponível para futuras lutas”. Até políticas, acrescentaria.

Como balanço destes 40 anos, e numa muito curta frase, o homenageado disse “ter conquistado muitos amigos”, a grande maioria presente no jantar.

Coube a dois desses amigos, em representação de centenas, dizerem curtas palavras. Francisco Laranjeira, da comissão organizadora da homenagem, classificou-a como “justa pelo trabalho exemplar do Duarte – um trabalho do qual todos os gondomarenses se podem orgulhar”. Mário Gonçalves, presidente da Assembleia Geral da Associação “Vai Avante”, recordou o percurso partilhado. E, principalmente, as “lutas” que fizeram crescer o movimento associativo de Gondomar, a instituição que lideram e, principalmente, “a nossa amizade e o ‘sacerdócio’ de querer sempre trabalhar pelos outros e ajudar a fazer um mundo melhor”.

Dirigindo-se especificamente aos muitos dirigentes associativos presentes, Fernando Duarte incentivou-os a “não desistirem do propósito de defender e promover a cultura, desporto e ação social”. E, complementou, “não se deixem substituir ou desanimar pelos que optam por contratar empresas para prestar o mesmo tipo de serviços”.

Fernando Duarte veio de Pias (Monção) para Gondomar ainda muito jovem. Tudo porque partiu um Galo de Barcelos… Já no Porto fez muito, em distintas áreas. O currículo, vasto, foi elencado. Assim como se recordaram imagens de muitos anos de atividade profissional e de vida pessoal. Em dia de homenagem fez questão de ter a família ao lado. “Sim, porque foram eles os grandes prejudicados da minha paixão pelo movimento associativo”, afirmou Fernando Duarte. A mulher, Guilhermina Couto, e os filhos, “já estão habituados a uma relativa ausência…”

Ficou por saber se pagou o Galo de Barcelos quebrado.

, ,