Festas do Concelho 2015: programa concilia atividades lúdicas e religiosas

A procissão continua a ser o momento alto das Festas / Foto: Arquivo Vivacidade

A procissão continua a ser o momento alto das Festas / Foto: Arquivo Vivacidade

O concelho está em festa até 11 de outubro. No programa constam iniciativas para todos os gostos, desde o lazer, à cultura e ao profano. Em declarações ao Vivacidade, os representantes da Comissão de Festas destacam a aposta em “eventos com dimensão”.

A II Noite Branca de Gondomar inaugurou, a 5 de setembro, as Festas do Concelho 2015. No entanto, não faltam iniciativas programadas para a romaria em honra de Nossa Senhora do Rosário, S. Cosme e S. Damião. Ao Vivacidade, Luís Filipe Araújo, vereador da Cultura da Câmara de Gondomar, destaca as  Festas do Concelho como “um grande momento de afirmação da cultura popular e tradicional gondomarense junto dos municípios vizinhos”.

“Vem muita gente de fora a Gondomar nesta altura, por isso temos apostado em eventos com alguma dimensão para potenciar essa capacidade de atração. Por outro lado, não esquecemos as iniciativas mais tradicionais como o I Merend’Ouro no Monte Crasto que, apesar da chuva, teve muita gente”, afirma o vice-presidente do Município.

Para o autarca as Festas devem “apostar na tradição e compreender a modernidade”, ideia ilustrada no agenda de eventos até ao dia 11 de outubro.

O concerto de Pedro Abrunhosa no Multiusos de Gondomar é o grande destaque do programa deste ano, mas a Feira das Tasquinhas, novamente com dois fins de semana, o programa cultural reformulado e a I Mostra de Artesanato D’Ouro prometem atrair milhares de pessoas a Gondomar.

“A oferta é diversificada e para todo o tipo de públicos”, assume o representante da Câmara de Gondomar na Comissão de Festas.

A Comissão, composta pela autarquia e pela Confraria S. Cosme e S. Damião e Nossa Senhora do Rosário, conta com um orçamento de 161 mil euros que incluem a atribuição de subsídios às instituições responsáveis pela organização das iniciativas inseridas no programa.

“Foi difícil manter o orçamento para este ano mas conseguimos. No ano passado fizemos uma redução de 40 mil euros e a Confraria compreendeu que o Município atravessa uma situação financeira delicada. Ainda assim conseguimos apresentar um excelente programa”, realça Luís Filipe Araújo.

“Esta é a última grande romaria do Norte”

Para Francisco Ascensão, presidente da Confraria S. Cosme e S. Damião e Nossa Senhora do Rosário, as Festas do Concelho são “o grande acontecimento que faz com que as pessoas de fora se desloquem a Gondomar”.

“Esta é a última grande romaria do Norte e sempre houve a tradição das pessoas de concelhos a sul do Douro virem satisfazer as suas promessas à Nossa Senhora do Rosário, a S. Cosme e S. Damião”, refere o responsável pela Confraria.

Quando questionado sobre a comparação com outras romarias do Norte, Francisco Ascensão equipara as Festas do Concelho às Festas de Lamego e salienta um dado histórico. “Estas festas são feitas há 600 anos sem qualquer interrupção. A Confraria foi criada em 1727 e não há registo de interrupção desta romaria, nem mesmo no início do século XX, com a implantação da República. Nessa altura houve proibição de manifestações de fé mas a Confraria conseguiu uma autorização especial do regedor para que a procissão saísse à rua”, conclui o presidente da Confraria.

 

, , ,