Festival de Música Moderna: 20ª edição sem vertente competitiva

Vítor Macedo, do Festival de Música Moderna Portuguesa - julho 2016

Vítor Macedo, no local da 1ª edição do Festival de Música Moderna / Foto: Pedro Santos Ferreira

O Festival de Música Moderna Portuguesa celebra este ano a 20ª edição. De 6 a 27 de agosto, todos os sábados, o Largo do Souto volta a receber bandas amadoras que marcaram a história do festival.

À 20ª edição o Festival de Música Moderna Portuguesa (FMMP) deixa a vertente competitiva de lado e junta bandas que marcaram as anteriores edições do evento cultural.

Assim, o “rockódromo” do Largo do Souto volta a receber os “Blind Charge”, “Somos Um”, “Hematomas” (dia 6), “Big Problem”, “Fera”, “Alfayate” (dia 13), “Red Line”, “Light’n Shade”, “Bruno Espinhaço” (dia 20), “Lio&Rebel” Monks”, “Kobalamina” e “Sugiru” (dia 27) durante o mês de agosto.

“Tivemos muitas ideias para comemorar estes 20 anos de esforço e de música original portuguesa. O que conseguimos fazer – mediante os apoios que tivemos e com os pés no chão – foi convidar algumas das bandas que passaram pelo nosso festival ao longo destas duas décadas”, começa por afirmar Vítor Macedo, responsável pelo FMMP.

Segundo o organizador, a 20ª edição será “diferente mas engraçada” e contará com bandas que “estão muito contentes por regressar onde foram felizes”.

Pela primeira vez o Festival abandona a vertente competitiva mas não abdica dos prémios para as bandas que vão atuar. “Vão atuar três bandas por noite, com um máximo de 10 temas cada uma. Não existe vertente competitiva mas vão existir três prémios para as bandas que vão participar. Vai ser dessa forma que vamos festejar os 20 anos”, afirma Vítor Macedo.

“Somos um viveiro onde nascem os grandes músicos”
A cada ano que passa apresentam-se a concurso novas bandas de garagem no FMMP. No total das 20 edições já decorridas terão passado pelo Festival mais de 1000 bandas, número que leva o organizador do evento a considerar o FMMP um “viveiro onde nascem os grandes músicos”.

“Este festival tem uma importância elevada no panorama musical nacional. Esta edição será um renascimento do evento com uma nova roupagem e com mais apoios, apesar de termos noção da difícil conjuntura nacional e internacional. No próximo ano queremos aplicar novas ideias, novamente com a vertente competitiva em vigor”, conclui Vítor Macedo.

O FMMP é uma iniciativa da Associação Festival de Gondomar, com o apoio da Câmara de Gondomar, da Escola de Jazz do Porto e da GondoMúsica.

Cartaz da 20ª edição:
6 de agosto – Blind Charge; Somos Um; Hematomas;
13 de agosto – Big Problem; Fera; Alfayate;
20 de agosto – Red Line; Light’N Shade; Bruno Espinhanço;
27 de agosto – Lio&Rebel Monks; Kobalamina; Sugiru;

, , , ,