Fotógrafo de Rio Tinto distinguido com prémio QEP

Renato Mendes, fotógrafo da Foto Ilustre / Foto de Pedro Santos Ferreira

Renato Mendes, fotógrafo da Foto Ilustre / Foto de Pedro Santos Ferreira

Renato Mendes, fotógrafo da Foto Ilustre, recebeu no dia 13 de julho o prémio QEP, na categoria de casamento. A distinção que visa premiar os melhores fotógrafos europeus foi entregue na Dinamarca.

Após um trabalho de três anos a reunir fotografias de casamentos, Renato Mendes, encorajado pelo pai, família e namorada decidiu enviar um conjunto de 12 imagens para aprovação europeia. O fotógrafo da Foto Ilustre, situada na Rua de Perlinhas, em Rio Tinto, recebeu, na Dinamarca, no dia 13 de julho, o prémio Qualified European Photographer (QEP), atribuído pela Federação Europeia de Fotógrafos (FEP), na categoria de casamento.

Em entrevista ao Vivacidade, Renato afirma: “Tento contar uma história nas minhas fotografias. Tecnicamente as fotografias têm que estar bem, mas tento levar as pessoas a pensarem algo sobre a foto”. No trabalho premiado, baseado em vários casamentos, Renato revela que procurou deixar “mistério na foto, com um espaço para a pessoa pensar na fotografia”. O mais recente QEP português não esquece o “orgulho” de vencer o prémio na categoria de casamento, numa área em que é difícil distinguir-se “porque há muita concorrência”, refere.

António Mendes, pai de Renato, que recebeu a mesma distinção na categoria de casamento, caracteriza o trabalho do filho como moderno, “porque faz umas fotos diferentes do habitual, que obrigam a pensar” e acredita que a distinção “vem nesse sentido”. O fotógrafo da Foto Ilustre sublinha a importância do prémio QEP, que constitui “uma honra muito grande, pelo facto de na mesma empresa existirem logo dois QEP’s e ainda mais por ser meu filho”.

Segundo António, em Portugal, existem 12 certificados QEP, atribuídos na categoria de casamento, sendo que dois deles foram formados pelo próprio, que conta já com uma carreira de 30 anos de fotografia profissional. “É sempre bom ser premiado e haver um reconhecimento do trabalho, mas o grau de exigência torna-se superior. As expectativas são muito grandes e mesmo nos trabalhos simples temos que dar o melhor para justificar os títulos que temos”, afirma António Mendes.

Em entrevista ao Vivacidade, Sérgio Moreira, assistente de direção da Associação Portuguesa dos Profissionais da Imagem (APPImagem), considera a distinção QEP um reconhecimento técnico e artístico do fotógrafo, um prémio “que não é fácil para qualquer fotógrafo, seja português ou de outro país, daí só existirem menos de 500 QEP atribuídos pela FEP em toda a Europa, num universo de mais de 50 mil fotógrafos de 27 países representados por esta federação”.

Renato Mendes procura agora consolidar a carreira de fotógrafo iniciada na Foto Ilustre há cinco anos, com novos trabalhos. O jovem fotógrafo de Rio Tinto admite que os reconhecimentos QEP e da Associação dos Fotógrafos Profissionais (AFP) levam as pessoas a perguntar se o trabalho final pode dar prémio, contudo refere que no momento em que tira a fotografia “não pensa nisso”.

, ,