Gondomar destaca-se por investimento ambicioso e singular com Parque Urbano de Fânzeres/S. Cosme

previous arrow
next arrow
Slider

O projeto já anunciado do Parque Urbano de Fânzeres/S. Cosme, integra o “Projeto da Rede de Parques Urbanos” que estão projetados para serem concretizados em Gondomar. A construção do parque divide-se em duas fases e possui um investimento de aproximadamente 2 milhões de euros. Marco Martins adiantou ao VivaCidade todos os detalhes do projeto que está previsto ser inaugurado no início de 2021.

O presente será localizado na Freguesia de Fânzeres, mais concretamente, entre a zona da “Carvalha” e “Santa Eulália” e, encontra-se limitado pela Avenida da Carvalha, a Rua da Carvalha de Baixo, a Avenida da Conduta e o Caminho da Carvalha de Baixo. No projeto consta que o Parque Urbano de Fânzeres ocupará uma área de 31.144 metros quadrados de pura riqueza natural.

A proposta apresentada para este território passa pela concretização de um espaço de lazer e desporto, consolidado com a proteção ambiental. Caracterizado por ser um território com um vasto património de valor histórico e ecológico é um dos interesses da autarquia o requalificar e preservar, proporcionando “um sentimento de pertença para os Gondomarenses” que será uma “inequívoca referência urbana”.

Com uma riqueza natural incomparável, para o Município é de extrema necessidade “a promoção da preservação e melhoria da estabilidade ecológica deste espaço ecológico, agrícola e hídrico”. Nesse sentido, os cuidados serão reforçados com o controlo de vegetação espontânea, o combate da vegetação invasora e a limpeza de povoamento, tornando-se necessário para o sucesso deste projeto “uma relação equilibrada” entre o espaço natural e o urbano.

“O projeto inclui a introdução de vegetação formada por árvores, arbustos, espécies rastejantes, trepadeiras e espécies aquáticas” selecionadas em função da sua capacidade de desenvolvimento nas condições ambientais do local. O intuito é que toda a área seja reforçada com “plantações na zona de estar, nos percursos e na parte envolvente aos equipamentos” criando um Parque de Paisagem, onde o verde e a diversidade animal predominam.

Além de toda a riqueza vegetativa e animal, onde a Fauna e a Flora são o principal destaque, o local é ainda caracterizado por um “elemento marcante” -o Rio Torto- que consta no projeto a sua valorização e revitalização potencializando a sua vertente lúdica. No documento está previsto o seu “arranjo paisagístico”, a requalificação/ recuperação das suas margens, visto que o local é propicio a cheias pontuais na altura do inverno.

Quanto à mobilidade dentro do Parque “a proposta aponta soluções de grande simplicidade e legibilidade”, elegendo percursos e travessias mais agradáveis, mais organizados e “menos diversificados” ao longo do Rio Torto. O principal objetivo na rede de mobilidade inserida dentro do parque é “reforçar a ligação” pedonal entre os diferentes equipamentos, passadiços e parte urbana. A proposta passa pela “(re)definição dos espaços existentes, respeitando as pré-existências e habitats”, como por exemplo as zonas do charco, do bosque e clareiras, e as margens do rio.

A nível de equipamentos, tudo foi idealizado ao mínimo detalhe, considerando as particularidades de toda a zona envolvente e a sua potencialidade. Assim será implementado “um Equipamento Infantil, versátil e multifunções, com uma imagem bastante “arborista” e brinquedos que desafiam os mais novos a experimentar novas aventuras, perfeitamente enquadrável neste Parque Verde”, um equipamento de escalada, que potencia a utilização “por um público mais velho” e um espaço para o jogo de Padel.

Além destes equipamentos mencionados, o espaço contará com um Parque Canino, um espaço Idade D’Ouro para os idosos, Casas de Banho, com a implementação de um bar, com um campo de futebol relvado e com um Skate Park. “A modelação do terreno junto dos equipamentos desportivos será feita em forma de anfiteatro verde que, funcionando como uma “bancada” informal” permitirá minimizar o impacto das estruturas construídas e uma melhor visualização dos jogos. Este espaço nasce com o intuito que no meio citadino, a população possa respirar e ouvir a natureza nos seus momentos lúdicos. Marco Martins refere que é importante a criação destes locais, dentro dos espaços urbanos, para melhorar a condição de vida e ambiental, sendo essencial para o autarca a qualidade do ambiente urbano.

Sobre o Projeto da Rede de Parques Urbanos, Marco Martins conclui que, quer que este seja um marco do seu mandato “é uma marca que nos deixa orgulhosos, nós apostamos no verde, apostamos na qualidade de vida” dos Gondomarenses. ▪

, , , , ,