Governo iniciou levantamento de prejuízos em Gondomar

Pedro Marques em Gondomar - outubro 2017

O ministro Pedro Marques visitou o Município de Gondomar / Foto: Direitos Reservados

Pedro Marques, ministro do Planeamento e das Infraestruturas, e autarcas dos municípios de Valongo e de Vila Nova de Gaia e da CCDR-N, entre outras entidades, fizeram, no dia 18 de outubro, um primeiro balanço dos prejuízos causados pelos incêndios. 

O Governo iniciou o levantamento dos prejuízos causados pelos incêndios em Gondomar. Para o efeito, a visita do ministro Pedro Marques à autarquia gondomarense juntou também autarcas de Valongo e Vila Nova de Gaia, a Comissão de Coordenação do Desenvolvimento Regional, entre outras entidades.

Após a reunião, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas garantiu que entre “duas a três semanas” o levantamento deverá ficar concluído. O representante do Governo garantiu ainda que as visitas às regiões afetadas servem também para pensar “em começar a reerguer e recuperar” as comunidades mais atingidas pelas chamas em “dias muito duros e difíceis”, disse, em alusão aos vários concelhos da região Norte e Centro do país.

Por sua vez, Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, garantiu que os incêndios que deflagraram em duas freguesias do concelho tiveram mão criminosa.

“Não tenho problemas em assumir que o que aconteceu na Lomba teve origem em mão criminosa pela forma como o incêndio deflagrou e pelos vários pontos de ignição em simultâneo que teve, por isso, digo que teve mão humana”, referiu o edil gondomarense.

Recorde-se que na Lomba e em Medas arderam cerca de 500 hectares, entre floresta e explorações agrícolas.

, ,