Grupo Mulheres de Fânzeres apoiou Obra ABC e Conferência Vicentina

Chá Solidário - novembro 2018

O chá solidário realizou-se na Casa de Montezelo, em Fânzeres / Foto: Pedro Santos Ferreira

No dia 25 de novembro, o Grupo Mulheres de Fânzeres juntou cerca de 50 mulheres num Chá Solidário, na Casa de Montezelo. A iniciativa visou apoiar duas instituições: a Obra ABC e a Conferência Vicentina de Fânzeres. 

Inspiradas pela vontade de dinamizar e apoiar a comunidade um conjunto de mulheres uniu-se para dar origem a um novo movimento civil em Gondomar. Une-as uma particularidade, serem de Fânzeres, naturais ou residentes. Objetivo? Partilharem momentos de convívio, trocarem experiências e apoiarem causas nobres sempre que possível.

“O grupo foi formado em setembro, muito rapidamente. Decidi falar com algumas amigas e criamos este movimento com o objetivo de organizar algumas iniciativas e provar a força das mulheres na sociedade civil. Depois cada uma de nós trouxe as suas amigas”, explica Florinda Ferreira, fundadora do Grupo Mulheres de Fânzeres.

A primeira atividade do grupo realizou-se este mês, na Casa de Montezelo, e juntou cerca de 50 mulheres. Juntas, angariaram uma verba e contribuíram com diferentes produtos para duas instituições gondomarenses: a Obra ABC e a Conferência Vicentina de Fânzeres.

A iniciativa, intitulada Chá Solidário, contou com um pequeno concerto da gondomarense Diana Bastos, autora do famoso tema musical “Grita, Sente”, além de um momento de poesia.

“Estamos prontas para organizar mais eventos e já fomos informadas da disponibilidade da Casa de Montezelo para a realização de novas iniciativas. Queremos ser um movimento de cariz solidário, porque todas conhecemos uma parte da freguesia e a nossa causa é contribuir para o desenvolvimento deste território e da sua comunidade”, conclui Florinda Ferreira, porta-voz do Grupo Mulheres de Fânzeres.

, , , ,