Intercetor do rio Tinto ficará concluído em maio de 2019

Intercetor do rio Tinto ficará concluído em maio de 2019 / Foto: Direitos Reservados

As Câmaras Municipais de Gondomar e Porto uniram-se para “prestar contas” sobre o intercetor do rio Tinto, obra partilhada entre as autarquias. Durante a sessão, foi apontada a conclusão da empreitada em 2019 e o bom estado do caudal do rio em 2021.

O caudal de água do rio Tinto “deverá atingir o bom estado ecológico” até ao final de 2021, disseram os responsáveis pelos Municípios de Gondomar e Porto, autarquias envolvidas na operação conjunta do intercetor deste recurso hidrográfico.

A apresentação pública do projeto decorreu na ETAR do Freixo e contou com as presenças de José Fernando Moreira, vereador do Ambiente da Câmara de Gondomar, e Luís Araújo, vice-presidente da Câmara do Porto. Juntos avançaram que o intercetor estará a funcionar em pleno em maio de 2019.

“Sabíamos que tínhamos que aproveitar o momento para pensar numa possibilidade de resolver o problema do rio Tinto, que não tem uma massa caudal capaz de aguentar tantas descargas de efluentes da ETAR do Meiral. A possibilidade de dialogar com a Câmara do Porto veio permitir esta solução”, recordou José Fernando Moreira, que terminou com a expectativa que o projeto “possa ir ao encontro das expectativas de todos”.

Já Luís Araújo fez notar que o projeto irá permitir “resolver o maior problema da região hidrográfica do Norte”. “Este sonho já tem longos anos e a possibilidade de caminhar no sentido dele só acontece por esta junção de vontades. Há um empenho real e absoluto, que passou por várias reuniões para chegarmos até aqui”, lembrou o autarca.

Por sua vez, na brochura distribuída pelas autarquias é também destacado que a obra culminará numa nova área verde e na interligação ao percurso do Polis de Gondomar até à marginal do Porto, na zona da Ribeira.

Em causa, recorde-se, está a colocação de um equipamento entre as estações de tratamento de águas residuais (ETAR) do Meiral, em Gondomar, e do Freixo, no Porto, projeto cuja candidatura ao Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) foi aprovada em dezembro de 2015.

O investimento ronda os nove milhões de euros com apoio comunitário. De acordo com os Municípios, está concluído 27% da intervenção.

, , ,