Já está em marcha processo de remoção dos resíduos perigosos

Residuos Camiao

Resíduos permaneceram em S. Pedro da Cova 13 anos

“Um dia histórico para S. Pedro da Cova” nas palavras de Daniel Vieira, presidente da União das Freguesias. Paulo Lemos, secretário de Estado do Ambiente, assistiu à partida do primeiro camião a transportar resíduos, no dia 2 de outubro. No momento simbólico marcaram também presença Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar e vários membros do executivo assim como dezenas de populares que se pronunciaram sobre o futuro daquele espaço.

Treze foguetes – um por cada ano em que os resíduos permaneceram em S. Pedro da Cova – foram lançados para o ar no momento da partida do primeiro camião que transportou os resíduos perigosos depositados em S. Pedro da Cova. O secretário de Estado do Ambiente, Paulo Lemos, fez questão de marcar presença e falou à comunicação social. “Está a ser feito um investimento de 13 milhões de euros para uma obra que será concluída em maio de 2015. Este é um longo processo, mas a CCDR lançou um concurso para retirarmos os resíduos e assim foi feito. Houve várias providências cautelares relacionadas com o concurso mas esses problemas foram resolvidos”, declarou.

Populacao Manif

A população reclamou uma requalificação do espaço

À entrada do recinto, vários populares demonstravam o desagrado pelo atraso de vários anos na remoção dos resíduos e fizeram-se ouvir pela futura requalificação do espaço. “Temos muitas dificuldades. O mal vem sempre ter a S. Pedro da Cova. Saímos satisfeitos do desfecho deste processo, mas lamentamos que se tenham deteriorado muitas coisas com os resíduos perigosos. Fomos prejudicados”, explicou ao Vivacidade, Joaquim Barbosa. Maria Ribeiro elogiou a atitude da Junta. “A luta continua porque isto ainda não parou e estes materiais não podem estar aqui. A nossa Junta de Freguesia nunca baixou os braços, por isso devemos tudo à Junta e à população”, referiu.
No que diz respeito à requalificação, Paulo Lemos foi claro: “Existe um projeto para esta zona, o projeto ‘Pulmão Verde’, em conjunto com os concelhos adjacentes. Penso que a candidatura ao próximo quadro comunitário será prioritária.” Marco Martins apoiou a decisão do secretário de Estado. “Estávamos aqui perante um crime ambiental. Terão falhado aqui o Governo e os municípios anteriores. Após a remoção esperamos enquadrar este espaço no projeto “Pulmão Verde”. A população de S. Pedro da Cova faz uma reclamação justa da requalificação deste espaço”, declarou o presidente.
Já da parte da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova, o presidente Daniel Vieira também expôs a sua opinião. “Este problema foi silenciado durante muitos anos e desde 2010 temos dedicado particular empenho a este problema. Foram enterradas aqui toneladas de resíduos perigosos, por isso saudamos o empenho dos que contribuíram para esta resolução. Queremos agora que este espaço seja ambiental e culturalmente requalificado”, esclareceu.

, , ,