Joaquim Serra vence 26ª edição do Prémio Nacional de Poesia de Fânzeres

Joaquim Serra - julho 2017

Joaquim Serra, vencedor do 26.º Prémio Nacional de Poesia de Fânzeres / Foto: Direitos Reservados

O júri da 26ª edição do Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres deliberou por unanimidade a atribuição do prémio à obra “Uma anunciada solidão”, de Joaquim Pinto Serra.

Joaquim Serra, 80 anos, natural do Algarve e residente em Lisboa, foi o vencedor da 26ª edição do Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres.

O autor, que vence pela quarta vez este concurso, concorreu com a obra “Uma anunciada solidão”, que mereceu a distinção do júri – constituído por Maria Olinda Moura, Maria Augusta Lopes e Florêncio Novais – por unanimidade. Desta vez o pseudónimo escolhido por Joaquim Serra foi “Fernando Barros”.

“Sou escritor há muitos anos e este será o oitavo livro que irei lançar. Venci o primeiro Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres, em 1998, e este será o quarto prémio que arrecado. Em boa verdade, já me sinto um cidadão honorário daquela vila”, diz Joaquim Serra ao nosso jornal.

No que diz respeito à obra, o autor refere a importância e pertinência do tema: a solidão dos idosos. “É cada vez mais um problema do nosso tempo. Por isso, importa abordar este tema com a atenção que ele merece”, afirma o vencedor do Prémio Nacional de Poesia de Fânzeres.

A cerimónia de lançamento do livro “Uma anunciada solidão” está marcada para o dia 27 de julho, pelas 21h30, na Casa de Montezelo, Fânzeres.

O Prémio Nacional de Poesia é uma iniciativa organizada pela União das Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova.

, , , ,