Jorge Pina: “Existe uma candidatura e um projeto para instalarmos um relvado sintético”

Jorge Pina, presidente SC Rio Tinto - julho 2016

Jorge Pina, presidente do SC Rio Tinto / Foto: Pedro Santos Ferreira

Jorge Pina, presidente da direção do Sport Clube Rio Tinto, iniciou a 1 de julho o segundo mandato na liderança do clube riotintense. Ao Vivacidade, promete uma equipa “aguerrida” para enfrentar a próxima época desportiva e revela a existência de uma candidatura para iniciar um projeto que vai unir as camadas jovens e o plantel sénior no mesmo complexo desportivo, com novo relvado sintético.

O clube festejou recentemente o 93.º aniversário. Como foi celebrada a data?
É sempre importante assinalar a data de aniversário do clube e é muito importante registarmos que há sempre pessoas disponíveis para ajudar este emblema a cada ano que passa.

Nesse dia tomaram posse os novos órgãos sociais do clube, novamente liderados por si. Há caras novas na direção do Sport?
Este clube tem uma atividade permanente e muito exigente. Este ano pensamos que seria interessante fazer dois em um e juntar a comemoração do aniversário à tomada de posse dos novos órgãos sociais, porque nunca é fácil reunir todos os representantes do Sport. Assim foi mais fácil juntar os dois eventos.

Entraram cinco caras novas na direção, o que comprova que temos conseguido uma renovar os nossos dirigentes.

Quais são os principais objetivos da direção para o próximo triénio?
O mandato é válido até 2019 porque fizemos uma alteração aos estatutos do clube. Relativamente aos objetivos desportivos, estamos neste momento a planear a próxima época. Recentemente ficamos a saber que o modelo da Divisão de Elite vai ser alterado e vamos passar a ter duas séries de 14 equipas. Além disso, vão descer mais equipas na próxima época e vai realizar-se uma liguilha para apurar a equipa que sobe ao Campeonato de Portugal.
Assim sendo, estamos cientes que os nossos adversários vão procurar reforçar-se da melhor forma possível e nós também já estamos a fazer o mesmo. Andamos atentos e estamos sempre a tentar fazer o nosso melhor para o bem do clube.

O objetivo desportivo já está traçado?
Não vamos entrar em promessas com os sócios. Posso dizer que gostaria de conseguir a subida de divisão mas a nossa prioridade é garantir a permanência e pensar jogo a jogo.

Mas quer marcar presença na 2ª fase da Divisão de Elite?
Sem dúvida. Temos essa ambição.

Que balanço faz do mandato anterior?
Um balanço positivo. Formamos uma equipa muito dedicada ao clube e registamos uma evolução significativa, sobretudo na nossa estrutura. Na formação procuramos melhorar todos os dias e sabemos as dificuldades que temos. Apesar disso temos feito um trabalho meritório.

Refere-se à falta de um relvado sintético para as camadas jovens?
Sim. Essa tem sido a nossa maior dificuldade, mas há de chegar o nosso tempo. Acreditamos que a Câmara está sensível ao nosso problema e contamos com eles e com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
Existe uma candidatura e um projeto para instalar um relvado sintético que está neste momento a ser avaliado. De resto, o presidente da Câmara de Gondomar já disse que tinha a intenção de nos ceder um campo com relvado sintético.

Assim sendo, a formação do clube poderá mudar-se da Ferraria para outro local…
Irá mudar-se para este complexo desportivo no terreno adjacente ao nosso estádio. O Campo da Ferraria irá desaparecer.

A obra representa um investimento de que valor?
É uma obra orçada em 500 mil euros. Ao longo do processo de submissão de candidatura à FPF contamos sempre com o apoio da Câmara de Gondomar. Caso a candidatura não seja aprovada a autarquia terá que suportar na totalidade o valor desse investimento.

Foi-lhe dada essa garantia?
A garantia foi dada pelo presidente da Câmara de Gondomar.

Na sua opinião, o SC Rio Tinto ficou para trás no que toca à cedência de relvados sintéticos da Câmara de Gondomar?
O que posso dizer é que tenho que lutar pelos interesses do SC Rio Tinto. Eu gostava de ter o relvado sintético já, mas sei esperar pelo meu tempo. Confio nas pessoas que me deram a sua palavra. Quando a obra ficar concluída vamos comprar foguetes para fazermos a festa.

A conclusão dessa obra e a subida de divisão da equipa sénior são os grandes objetivos da direção para este mandato?
Obviamente que gostaríamos que isso acontecesse. O clube está bem situado mas temos dificuldades em segurar os atletas da formação enquanto estivermos no Campo da Ferraria. Mesmo assim conseguimos ter 200 miúdos a treinar diariamente. Isto não quer dizer que com a construção do relvado sintético vamos passar a ter 700 atletas mas queremos dar-lhes uma garantia de qualidade.

Que vantagens antevê na construção de um complexo desportivo que aproximará os escalões de formação e a equipa principal?
Vai certamente impulsionar o clube para outro patamar e chamar ainda mais atletas. Temos o Metro à porta do estádio e isso pode dar mais conforto aos atletas e aos próprios pais.

No que diz respeito à equipa principal estão também a surgir algumas movimentações no plantel. Que novidades podemos esperar em agosto?
Temos um treinador que já iniciou o seu trabalho no final da época passada. Essa aposta dá-nos algum conforto na preparação da próxima época. Posso garantir que estamos em sintonia com a equipa técnica e dentro das nossas possibilidades tudo faremos para garantir-lhes as melhores condições possíveis.

O clube já garantiu algumas contratações e renovou com vários jogadores que já estavam no plantel…
Fizemos 14 renovações, saíram oito atletas e já entraram sete caras novas. Estamos a preparar uma equipa aguerrida com jogadores que trabalham muito.

Este ano ficam de fora da Taça de Portugal mas na Taça Brali quais são as expectativas do clube?
Vamos competir na Taça Brali com toda a seriedade.

O clube tem firmado a sua ação em várias atividades e eventos realizados ao longo do ano. Que importância têm estas iniciativas para o Sport?

Somos uma equipa de trabalho e estamos sempre disponíveis para aceitar novas ideias. Veja-se o caso da equipa de BTT que surgiu por iniciativa de uma pessoa que tem o seu filho na nossa academia e que decidiu dar o seu contributo ao Sport. Acatamos a sugestão e decidimos avançar com o projeto. A equipa está a fazer um bom trabalho.
Todas as outras atividades que realizamos são feitas com toda a dedicação que merecem. A Gala do Sport veio para ficar e todos os anos temos procurado aperfeiçoar o evento que é totalmente organizado por pessoas do clube. Este ano realizou-se no Multiusos de Gondomar o que comprova o crescimento do clube e da sua visibilidade.

De resto também foi distinguido na Gala Sport com a atribuição do Prémio Carreira. A distinção confere-lhe mais motivação para enfrentar os próximos anos?
Eu gosto do que faço e empenho-me sempre no meu trabalho. Se não trabalharmos com exigência não conseguimos resultados bonitos e o que posso prometer é que vou continuar a pensar desta forma. Fico triste por existir alguma ingratidão em certos momentos mas isso não me impede de continuar a trabalhar.

Em 2017, Gondomar é Cidade Europeia do Desporto, o SC Rio Tinto está disposto a dar o seu contributo?
Estamos sempre dispostos a colaborar até porque existe um protocolo entre o clube e a autarquia. Acho que vai ser um momento muito importante para Gondomar.

, , , , ,