José António Macedo: “Sinto que ainda posso dar muito mais a Gondomar”

José António Macedo - setembro 2016

José António Macedo, presidente da União de Freguesias de Gondomar, Valbom e Jovim / Foto: Pedro Santos Ferreira

José António Macedo está prestes a iniciar o último ano de mandato como presidente da União de Freguesias de Gondomar (São Cosme), Valbom e Jovim. Em entrevista ao Vivacidade, o autarca fala sobre as Festas do Concelho, os projetos para Jovim e a disponibilidade para a vida política ativa no concelho.

Gondomar está em festa e as festividades têm como epicentro São Cosme. Como avalia os últimos anos da Romaria do Rosário?
Na minha opinião, as Festas do Concelho têm vindo a registar uma maior afluência da população nos últimos anos. Temos tido mais visitas de fora do concelho, mas também das freguesias do Alto Concelho e de freguesias como Fânzeres e Rio Tinto.

Como justifica esse crescimento?
Poderá dever-se ao prolongamento das Festas para cerca de mais de um mês, isso tem sido positivo. Além disso, a iniciativa inaugural [Noite Branca de Gondomar] também traz muita gente a São Cosme. Esta é uma grande romaria e há aqui lugar para todos. Contudo, julgo que seria benéfico aproveitarmos melhor esta atratividade com uma maior dinâmica e divulgação do comércio local.

As Festas do Concelho são também uma altura em que são gerados muitos resíduos. Há uma preocupação especial da União de Freguesias para esse aspeto?
É uma questão que nos preocupa bastante. Tentamos estar mais atentos à limpeza das ruas, mas é normal que exista maior abundância de resíduos nesta altura. Temos sempre equipas prontas para atuar nesse sentido.

Considera que a Festa das Nozes tem mantido a sua tradição?
Admito que a mudança de local da iniciativa do Caldo de Nabos, por decisão da Comissão de Festas, possa ter sido errada. Eu não faria isso, até porque o novo local não é tão acessível para os idosos, que valorizam muito essa tradição. Tudo o resto tem-se mantido ao longo dos anos e não pode faltar o vinho americano, as nozes e a regueifa.

No que diz respeito ao lado sagrado e profano das festividades, nota alguma mudança?
Julgo que não. Continuamos a registar uma grande afluência dos fiéis e hoje em dia há mais facilidade para as pessoas se deslocarem até Gondomar.

As Festas deveriam ser alargadas às restantes freguesias do concelho ou devem manter-se circunscritas a Gondomar (S. Cosme)?
Julgo que devem manter-se aqui, tal como acontece nas outras romarias do país. Os padroeiros são de Gondomar (S. Cosme), por isso a festa não deve mudar-se para outras freguesias, apesar de serem festividades conhecidas como “Festas do Concelho”. Se a romaria fosse dispersa perderia grande impacto.

Nos últimos anos, que envolvimento tem tido a União de Freguesias nas Festas do Concelho?
Anteriormente, quando estávamos integrados ou reunidos com a Comissão de Festas, éramos consultados e colaborávamos com a organização. Somos um órgão de poder local e deveríamos ter essa participação. Isso mudou, mas os atos ficam com quem os pratica.
Infelizmente nos últimos anos isso não tem acontecido, mas continuamos a dar o nosso melhor. Estamos próximos da Comissão de Festas e damos todo o apoio logístico que nos é solicitado. Além disso, a nossa unidade de Proteção Civil também colabora nas Festas do Concelho.

Que balanço faz do último ano deste mandato?
Foi um ano de grande trabalho. Nos primeiros dois anos deste mandato procuramos adaptar-nos à delegação de competências. Conseguimos organizar os nossos métodos de trabalho e começamos a trabalhar em rede nas três Juntas de Freguesia.
Neste mandato temos conseguido satisfazer as necessidades das pessoas cumprindo o nosso dever e o que nos têm delegado. Ainda temos previsto o alargamento de algumas ruas até ao final deste ano e no decorrer do próximo.

Continua a manter uma aposta forte na área social…
Sim, este executivo valoriza bastante a área social. Temos vários projetos que procuram dar resposta a essas necessidades e procuramos reinserir as pessoas numa vida social ativa. Temos conseguido bons resultados e já reintegramos dezenas de pessoas na sociedade. Essas são as grandes obras.

Em 2015, em entrevista ao Vivacidade, anunciou a intenção de criar uma Loja Social, um Centro de Convívio e uma Biblioteca em Jovim. Esses projetos vão ser implementados neste último ano de mandato?
O conceito da Loja Social já foi implementado em Gondomar (S. Cosme) e em Valbom. Continua a ser nossa intenção criar também esse espaço em Jovim. O edifício da antiga Junta de Jovim está disponível e isso está a ser tratado com a Câmara Municipal de Gondomar. Esse projeto poderá ficar pronto até ao final deste ano. Jovim merece ter um espaço de leitura e um local para os idosos conviverem.

No final deste mandato dá como terminado o seu trabalho na União de Freguesias ou vai lançar uma recandidatura?
Estamos a um ano das eleições e o meu partido [PSD] ainda não tomou uma decisão sobre isso. Se me pedirem para continuar este trabalho eu irei equacionar essa hipótese, caso me desafiem para outra função também irei pensar sobre isso. Posso afirmar que estou disponível par continuar a servir as pessoas de Gondomar. Sinto que ainda posso dar muito mais ao concelho e gostaria de dar mais do que aquilo que dei até hoje.

, , , , ,