Liga Desportiva de Gondomar – A dinamizar a competição no concelho desde 2009

Liga GondomarCom cerca de 800 atletas a participar nas competições, a Liga Desportiva de Gondomar (LDG) organiza desde 2009 um campeonato alternativo ao da Associação de Futebol do Porto. Ao Vivacidade e apesar de não ser o presidente, Amaro Teixeira dá a cara pela Liga e traça um percurso de quatro anos em Gondomar.

“Excedeu as espectativas que tínhamos quando se pensou em criar a liga”, refere Amaro Teixeira membro da atual direção da LDG.
Criada em setembro de 2009, a Liga Desportiva de Gondomar surgiu com o objetivo de organizar uma “competição de longa duração” para o concelho de Gondomar, para além da existente da Associação de Futebol do Porto. “O nosso objetivo inicial era pôr quatro ou cinco equipas a competir porque havia algumas equipas de futebol que, devido aos custos da Associação de Futebol do Porto, tinham alguma dificuldade em inscrever-se e arranjavam uns encontros aos fins de semana em competições de Vila Nova de Gaia” explica Amaro Teixeira. “Foi aí que se começou a ponderar se não seria viável criarmos uma liga em Gondomar. Houve recetividade por parte da Câmara e contactámos os clubes que tinham condições e campos de futebol”, continua o membro da direção.
Com oito equipas fundadoras, surgiu a Liga de Gondomar dedicada apenas ao futebol. Sport Clube Montezelo, Estrelas de Fânzeres, Centro Ciclista de Gondomar, Dragões Valboenses, Atlético de Rio Tinto e Falcão Negro são alguns exemplos de equipas que marcaram o início do primeiro campeonato.

Meio ano depois surge o futsal e a Liga aumenta

Com o sucesso inicial alcançado e depois de várias solicitações, a Liga de Gondomar é “obrigada” a criar uma nova modalidade, o futebol de salão ou futsal. “Na primeira época começamos com mais 10 equipas e surgiu um problema, transversal a todas as coletividades: recursos humanos”, conta Amaro. “É difícil arranjar pessoas para acompanhar todas as equipas” acrescenta. Apesar das dificuldades na obtenção de pessoal, o voluntário mais ativo da Liga está “esperançado que outras equipas, num futuro próximo, também possam participar”.
Para já, a Liga de Gondomar conta também com competição para Academias e Escolas. O objetivo é criar uma competição para “os miúdos que não tem idade para participar no campeonato da Associação de Futebol do Porto”.

“A Liga funciona mais ao nível disciplinar”

Amaro Teixeira fala pela instituição mas ao Vivacidade confessa que as decisões são maioritariamente tomadas pelo Conselho de Disciplina. É lá que, semanalmente, se tomam todas as decisões que dizem respeito ao campeonato. À frente desse concelho está José Santos que assume as funções de presidente. Para o porta voz disciplinar, o mito de que a Liga Desportiva de Gondomar tem mais problemas de disciplina está errado. “Não há mais problemas disciplinares com os jogos da Liga do que com os da Associação de Futebol do Porto. O que há é uma rivalidade muito maior porque são clubes da mesma terra”, afirma. José Santos não quer comparações, “por alguma razão é que foi criada a liga”. “Não podemos comparar ao futebol associativo. Isto é uma espécie de desporto a custo reduzido”, menciona.
Apesar de não haver policiamento nos jogos organizados pela LDG, os casos de indisciplina não têm aumentado, conta José Santos. Certo é que também não têm diminuído mas isso tem uma explicação: “o volume de jogos também tem aumentado consideravelmente”, refere.

LDG quer sede e pavilhão fixos

Com o aumento de equipas a aderir à LDG, essencialmente por motivos económicos, a direção e o conselho de Disciplina dão conta de um problema. Vai ser necessário criar um local fixo para a organização dos jogos da liga. Na prática, não vão existir pavilhões suficientes para realizar todos os jogos nos mesmos dias.
“Temos utilizado o complexo desportivo de Valbom”, comenta Jorge Ribeiro do Conselho de Disciplina, mas “há vontade de termos algo mais definitivo”.
Para isso contam com o apoio da Câmara, para quando for necessário.
A sede da LDG também já foi alvo de alterações e neste momento localiza-se na Avenida da Carvalha, em Fânzeres mas o ideal, para os dirigentes da LDG, seria num local fixo cedido pela Câmara Municipal.

,