Linha para Gondomar será a próxima prioridade da Metro do Porto

Metro em Rio Tinto - fevereiro 2017

A proposta apresentada pelo Município de Gondomar prevê a chegada do Metro ao centro do concelho / Foto: Arquivo Vivacidade

O ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, anunciou, no dia 7 de fevereiro, duas novas ligações da Metro do Porto, no Porto e em Vila Nova de Gaia, que serão construídas até 2021. A linha para Gondomar será a próxima prioridade.

O Governo vai avançar com estudos técnicos para expandir a rede da Metro do Porto a três novas linhas, designadamente a Gondomar, Maia e Gaia.

A garantia foi deixada pelo ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, em reunião do Conselho de Administração da Metro do Porto. “Ficou combinado que há três outras linhas que irão ter, do ponto de vista dos estudos, igual calendário às duas novas ligações no Porto e em Gaia, que serão construídas até 2021”, afirmou o ministro.

Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, aplaudiu o compromisso. “Sem prejuízo de melhor estudo, a proposta que apresentamos há cerca de dois meses prevê uma procura de 12 mil novos clientes por dia, para um investimento de cerca de 100 milhões de euros, e fico satisfeito com o compromisso assumido de que essa linha será a próxima prioridade da Metro do Porto servindo Gondomar, que é a única sede de concelho do primeiro anel da Área Metropolitana que não tem metro. É uma questão de justiça e de correção”, destacou o edil gondomarense.

A nova proposta apresentada pela Câmara de Gondomar prevê a ligação do Estádio do Dragão, via Contumil, até ao centro de Gondomar. “Esta é uma nova alternativa que apresenta um orçamento mais baixo [110 milhões de euros], com 55% mais procura e que serve melhor o centro de Gondomar e o Porto. Caso não tivéssemos avançado com este novo estudo técnico, a expansão da rede de Gondomar ficaria enterrada, tal como aconteceu com a linha da Trofa”, afirma Marco Martins, em declarações prestadas ao Vivacidade.

Para o autarca, o novo projeto “procura implementar a passagem do metro pela Câmara de Gondomar, subindo depois pela Rua 5 de Outubro até ao parque de estacionamento no Largo do Souto”. “Estamos convencidos que até ao próximo verão vão surgir novidades sobre este processo”, aponta Marco Martins.

O primeiro estudo apresentado pela autarquia gondomarense indica a procura de 12 mil clientes diários e prevê 5700 movimentos pendulares por dia.

Refira-se que até ao fecho desta edição não foi possível obter resposta da Metro do Porto.

Proposta prevê ligações ao Alto Concelho
Na proposta apresentada ao Governo, o Município de Gondomar previu também a ligação ao Alto Concelho. O novo traçado aumenta de cinco para seis as estações, servindo mais população, desde logo do centro da cidade.

A linha Dragão-Souto tem agora estações em Gondomar na zona da Lagoa, no centro de Valbom, no Hospital Fernando Pessoa, na Câmara e em São Cosme (edifício Mafavis), terminando no Largo do Souto, interface rodoviário que liga os autocarros da Gondomarense às freguesias do Alto Concelho (Jovim, Foz do Sousa, Covelo, Medas e Melres, permitindo um transbordo direto.

PCP contesta adiamento da linha de metro até Gondomar
Em comunicado, a Comissão Concelhia de Gondomar do PCP lamenta o adiamento da linha de metro até Gondomar. “A Comissão Concelhia do PCP de Gondomar considera inaceitável que a ligação ao centro de Gondomar não só não seja considerada no imediato, como não seja perspetivada a sua construção num horizonte razoável”, começa por referir a nota de imprensa.

O partido comunista considera o adiamento prejudicial para os gondomarenses e contesta “o posicionamento lamentável do presidente da Câmara de Gondomar, que não conseguindo garantir a expansão do metro para o seu concelho criou um fait-divers com um hipotético novo traçado que lhe permitiu apresentar publicamente uma compensação à passividade da Câmara”.

, , , , ,