Lipor inaugurou Centro de Interpretação Ambiental de Rio Tinto

Lipor - junho 2018

O Centro de Interpretação Ambiental da Lipor já tem o primeiro ‘peixe’ / Foto: Pedro Santos Ferreira

No dia 11 de junho, realizou-se a cerimónia de inauguração do Moinho do Rio, Centro de Interpretação Ambiental do rio Tinto e Trilho Ecológico da Lipor.

O Centro de Interpretação Ambiental (CIA) da Lipor abriu portas ao público no início deste mês. O espaço conta com uma escultura de Bordalo II, naquele que será o primeiro “peixe” do rio Tinto.

A obra, feita de plásticos reciclados, simboliza o processo de renaturalização e recuperação que está a ser levado a cabo no troço do rio Tinto que passa no Trilho Ecológico da Lipor.

A inauguração do CIA da Lipor contou com as presenças de Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara Municipal de Valongo.

“Estar aqui hoje, a inaugurar este espaço, é um ato simbólico, de grande importância. Os municípios associados da Lipor querem trazer mais gente a este espaço e dar continuidade a esta luta de preservação ambiental”, afirmou o edil gondomarense.

Por sua vez, para José Manuel Ribeiro, acredita que a atividade da Lipor está a “devolver a Natureza ao público”. “Como autarca fico muito satisfeito com o trabalho que aqui estão a desenvolver. Hoje, a zona em que estamos não é de aterro, como já foi. Além disso, esperamos que um dia possam voltar a viver aqui alguns peixes”, pediu o autarca de Valongo.

O moinho do rio e o Centro de Interpretação Ambiental são o culminar de um trabalho desenvolvido ao longo dos cerca de 500 metros em que o rio passa no Trilho Ecológico da Lipor.

Os equipamentos inaugurados dizem respeito a uma operação de despoluição e limpeza do leito do rio, valorização das margens e a criação de um trilho apropriado para percursos pedestres.

, , , ,