Medidas para um ambiente melhor

>José Fernando Moreira, Vereador do Ambiente.

Nos dias de hoje os problemas ambientais têm sido uma problemática muito abordada e debatida na sociedade contemporânea. O meio ambiente tem vindo a se tornar uma das maiores preocupações atuais das autarquias nacionais. Em Gondomar, medidas foram tomadas e atitudes diligenciadas para combater estes problemas sociais e ambientais.

A pegada ecológica do Município tem vindo a diminuir com as atitudes tomadas pelo executivo camarário e pelo esforço da população Gondomarense no cumprimento das medidas.

No quesito do ambiente, a gestão dos Resíduos Urbanos de Gondomar, foi um projeto imposto, que apela à população à separação e reciclagem do Lixo. Em 2019, as taxas de reciclagem e de valorização de biorresíduos atingiram, em Gondomar, valores positivos. No ano anterior, foram enviados para processo de reciclagem à Lipor 8.857 toneladas de resíduos e 5.535 toneladas de biorresíduos para valorização orgânica. No total, foram recolhidas 14.392 toneladas de resíduos recolhidos seletivamente.

Ao implementar a medida da recolha seletiva de porta-a-porta residencial, aproximadamente 3.000 famílias usufruíram gratuitamente de quatro ecopontos: o amarelo (embalão); o verde (vidrão); o azul (papelão); e o preto (lixo indiferenciado). O projeto implementado pelo executivo, recolheu um total de 496 toneladas, em 2019.

Quanto à recolha porta-a-porta a estabelecimentos comerciais e de serviços, aderiam cerca de 725 locais ao projeto e foram recolhidos para reciclagem cerca de 1.497 toneladas, um crescimento de 125 toneladas face ao ano 2018.

O executivo camarário pretende alargar a rede de ecopontos a toda a população Gondomarense. Atualmente, este projeto conta com um reforço de 30 conjuntos e 605 módulos para separação de resíduos na via pública e cerca de 6.000 alojamentos unifamiliares nas freguesias de Baguim do Monte, Fânzeres, S. Cosme, São Pedro da Cova e Rio Tinto. Até ao final de março de 2020, a meta é atingir 8.000 residências.

Como forma de melhorar a saúde pública e animal, foram implementadas medidas para melhorar as condições dos amigos de quatro patas de Gondomar. Segundo José Moreira, vereador do ambiente, o Gabinete de Proteção Animal (GPA) é “uma ferramenta indispensável para a saúde pública”. O GPA tem como objetivo alertar e sensibilizar a “população para a problemática do abandono dos animais”, ser um espaço de “informação relativamente aos cuidados essenciais de maneio (exercício) e profilaxia higio-sanitária (prevenção higiénica)” e “dar a conhecer” aos donos dos animais, as obrigações legais a cumprir perante a lei.

Um dos objetivos dos responsáveis é que o Canil Municipal seja um espaço de passagem para estes animais e, simultaneamente contribuir para o desenvolvimento da responsabilidade dos “tutores relativamente à detenção de um animal”, neste sentido, a GPA tem vindo a desenvolver ações de sensibilização nas escolas do Município.
O Gabinete possui parcerias com associações da comunidade civil que promovem a “interação da comunidade” em prol desta causa.

Algumas das medidas de sucesso que o GPA tem vindo a desenvolver são: Campanhas de adoção, onde oferecem um plano gratuito de vacinação desse ano, Chip, esterilização, desparasitação e duas aulas de socialização; outra medida foi o protocolo com um hospital veterinário para cuidados imediatos; a criação de um protocolo com educadoras caninas para aulas mensais; A recolha gratuita de cadáveres na via pública e ao domicilio; A realização de uma campanha Nacional de higiene antirrábica e identificação dos animais domésticos; A captura de animais errantes e recolha de animais em “situações de risco social humano ou animal”; a recolha de ninhadas de animais nascidos na via pública; a “colaboração e articulação com as autoridades policiais” na resolução de problemas derivado dos animais; a recolha de animais suspeitos de raiva; a Fiscalização e o controlo de situações nocivas de instalações precárias que coloquem em causa o bem estar animal; a “inspeção de centros veterinários e outros estabelecimentos de prestação de cuidados aos animais”; entre outros.

Como atividades extraordinárias, foram realizadas campanhas de esterilização solidária, a entrega de leitores de Microship às autoridades competentes e a inauguração de um parque canino.

O Município de Gondomar, aprovou em junho de 2019, a sua EMAAC- Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, o documento visa restruturar a gestão territorial, que tem como objetivo “a resiliência do concelho a fenómenos externos” como cheias, incêndios, tornados, entre outras causas naturais e humanas.

Para controlar o estado ecológico da rede hidrográfica do concelho, foi elaborado um plano estratégico das linhas de Água de Gondomar que abrange os rios Tinto, Torto, Ferreira, Sousa, Douro e outros afluentes “de menor escala”. A premissa deste projeto passa pela valorização e reabilitação destas redes naturais.

Por último, encontra-se em curso o plano de gestão do Parque das Serras do Porto. Este projeto visa realizar a “reconversão florestal das parcelas com monocultura de eucalipto” e o controlo de plantas exóticas invasoras e a requalificação “dos corredores ecológicos ribeirinhos”. A intervenção foi aprovada pelo PO SEUR- Programa Operacional de Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos. Segundo José Moreira, o futuro do ambiente no Município de Gondomar passa por continuar a desenvolver este tipo de projetos implementados e sensibilizar os cidadãos para estas causas sociais e ambientais de extrema importância. ■

, , , ,