Medieval de Rio Tinto espera milhares de visitantes de 13 a 16 de setembro

9ª Medieval de Rio Tinto - agosto 2018

A 9ª Medieval de Rio Tinto está prestes a começar / Foto: Arquivo Vivacidade

A Quinta das Freiras, em Rio Tinto, volta a receber a Feira Medieval, que completará a sua 9ª edição, entre os dias 13 e 16 de setembro. A novidade será o espetáculo principal que irá corresponder ao momento histórico da entrega do couto de Rio Tinto por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal. 

A Medieval de Rio Tinto está prestes a realizar-se. Nos terrenos da Quinta das Freiras vão acampar nobres, burgueses, militares, cavalos e romeiros que durante quatro dias vão dinamizar o espaço e fazê-lo recuar à era medieval.

A 9ª edição do evento organizado pela Junta de Freguesia de Rio Tinto e Associação Artística de Gondomar (ARGO), com o apoio do Município de Gondomar, vai apostar no reforço do caráter histórico do evento, tendo pela primeira vez um espetáculo principal assente numa parte da história de Portugal: a entrega do foro do couto de Rio Tinto por D. Afonso Henriques.

“É a grande novidade desta edição”, aponta Nuno Fonseca, presidente da Junta de Rio Tinto. De acordo com o autarca, “houve uma investigação histórica da empresa que desenvolve o espetáculo, que deu origem à produção que vai estrear-se no terceiro dia da Medieval [15 de setembro]”. Assim, após vários anos de recriação da lenda do rio Tinto, a Medieval aproxima-se da história lusitana.

A par deste espetáculo, a 9ª Medieval de Rio Tinto vai fazer regressar os cavalos para o tradicional acampamento militar, bem como o espetáculo de fogo que tem marcado as últimas edições. O recinto, que será alargado para a totalidade da Quinta das Freiras, vai contar também com 71 expositores, entre comida, bebida e venda de artesanato.

“Anualmente, temos registado um crescimento assinalável, quer no número de expositores quer no número de visitantes. O que idealizámos é um evento com rigor histórico. Felizmente, já ultrapassamos outras iniciativas do mesmo género, com orçamentos superiores e um maior número de edições”, revela o autarca.

Para Albertino Valadares, presidente da direção da ARGO, o crescimento da Medieval nos últimos anos é significativo, sem esquecer um dos elementos fundamentais, a animação itinerante. “Volta a ser uma grande aposta da organização, quer através do grupo de teatro Sururus [ver caixa] quer com outras empresas de animação vocacionadas para este tipo de cenários. Além disso, o espaço gastronómico também deverá crescer face à edição anterior”, afirma o organizador.

A avaliar pelo número de candidaturas (130), há cada vez mais interesse no evento, que está agora “enraizado no circuito Medieval”. A entrada será livre.

Há um casal real que anima a Medieval
D. Tremoço e Dna. Súrbia são, pela quinta edição consecutiva, o casal real (ou real casal) da Medieval de Rio Tinto. Apesar das personagens serem ficcionadas, Onofre Varela e Isabel Andrade, respetivamente, levam “a brincadeira muito a sério” e, durante quatro dias, abdicam da família para representar duas personagens intimamente ligadas ao evento riotintense.

“Na verdade, Rio Tinto tem uma feira medieval mas nunca teve um rei. Contudo, a história de Rio Tinto começa muito antes do primeiro rei de Portugal, logo não havia monarca. Assim, decidimos criar este casal com o propósito de marcar presença neste evento e de lhe emprestar algum sentido de humor”, começa por dizer Onofre Varela. A “rainha”, nem sempre bem-comportada, diz-se reconhecida pelos visitantes, “nesta e noutras épocas do ano”.

“Este ano, pela primeira vez, também damos a cara pelo evento e constamos no cartaz oficial da Medieval, que é sempre motivo de orgulho”, explica Isabel Andrade. Ambos fazem parte do grupo de teatro Sururus, da ARGO, e não esquecem os outros elementos que ajudam a receber em festa os cerca de 40 mil visitantes da Medieval de Rio Tinto.

Entrada ainda será livre, mas pode vir a ser paga na próxima edição
Questionado sobre a possibilidade de vir a cobrar pela entrada no recinto, Nuno Fonseca esclarece os visitantes. “A Medieval de Rio Tinto atingiu já um nível de qualidade que nos obriga a investimentos muito avultados, de várias dezenas de milhares de euros por dia. Nos últimos anos tem sido financiada principalmente de quatro formas: o apoio da Câmara Municipal de Gondomar, que iniciou apenas nos últimos quatro anos e tem vindo a ser uma fatia muito importante deste investimento; com o aluguer de stands para venda no recinto, que atinge este ano o seu ponto máximo e que não poderá crescer nos próximos anos por limitação de espaço; pelo apoio fundamental de diversas empresas que de uma forma financeira ou logística apoiam este evento ficando depois os restantes custos quer financeiros quer logísticos a cargo da Junta de Rio Tinto que não consegue de uma forma regular ultrapassar o já imenso investimento neste evento. Parece-nos que neste momento, não nos restará mais nenhuma opção para o financiamento de parte do evento que não seja a cobrança de uma entrada a todos aqueles que nos visitam, que mesmo sendo de baixo valor para todos os dias, nos irá permitir investir na melhoria e na qualidade da animação do recinto, que tem sido a grande dificuldade que temos sentido, pois sem garantias de investimento não conseguimos contratar atempadamente as grandes animações das medievais que se produzem em Portugal. Conseguimos trazer a Medieval até este nível e sem o apoio dos visitantes, mas dificilmente conseguiremos continuar a fazê-la crescer em qualidade, pelo que nos parece que a partir de 2019, na 10ª edição, será fundamental optar por este tipo de investimento, à imagem daquilo que se faz já em todas as outras medievais”.

Município satisfeito com a iniciativa
Ao Vivacidade, Luís Filipe Araújo, vereador da Cultura do Município de Gondomar, mostra-se satisfeito com a Medieval de Rio Tinto, “um evento que tem progredido de ano para ano e que traz cada vez mais visitantes à cidade”. “O lado histórico da Medieval merece ser reforçado e é bom verificar que isso tem acontecido. É uma iniciativa relevante para o concelho”, conclui.

Programação da 9ª Medieval de Rio Tinto:
13 de setembro
19h – Inauguração
20h – Ceia Medieval
Danças Medievais
Danças Orientais

14 de setembro
22h – Espetáculo de Dança

15 de setembro
23h – Entrega do Foro de Couto dada a Rio Tinto pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques
24h – Espetáculo de fogo

16 de setembro
11h – Cortejo
17h30 – Torneio Medieval
21h – Esconjuro

, , , , , , ,
Um comentário em “Medieval de Rio Tinto espera milhares de visitantes de 13 a 16 de setembro
  1. Sou brasileira e me mudei para Rio Tinto em agosto/18. Estou esperando com muita ansiedade esse evento, que com toda certeza, será inesquecível.
    Parabéns aos organizadores pela iniciativa e pelo cuidado com a programação.
    Sucesso a todos.
    Carla

Comments are closed.