Milhares assistiram ao regresso das marchas populares a S. Pedro da Cova

Marchas Populares de S. Pedro da Cova 2015 / Foto: Ricardo Vieira Caldas

Marchas Populares de S. Pedro da Cova 2015 / Foto: Ricardo Vieira Caldas

As marchas populares voltaram a S. Pedro da Cova. Onze anos depois, a tradição voltou a encher a freguesia com atuações de mais de 500 marchantes.

Foram milhares as pessoas que se juntaram no passado dia 3 de julho, perto da Junta de Freguesia de São Pedro para assistir ao espetáculo, integrado nas festas aos Padroeiros São Pedro e São Paulo, protagonizado por seis grupos marchantes. Pelo recinto passaram os grupos dos Leões de Tardariz e Jardim de Infância “o Pedrocas”, do Rancho Folclórico do Passal, do Centro Desportivo e Recreativo do Passal, da Associação Recreativa Cultural e Desportiva de Vila Verde, da Associação Estrelas de Silveirinhos, da Associação Social de Silveirinhos e Orfeão de S. Pedro da Cova.

O presidente da União das Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova, Daniel Vieira, confirmou ao Vivacidade o sucesso desta edição. “Foi uma grande iniciativa e uma aposta ganha. Lançamos o desafio às coletividades e tivemos uma resposta muito positiva, confirmada com o êxito da iniciativa e com a participação das pessoas. A forma com que cada marcha se apresentou e o cuidado que tiveram traz-nos grande satisfação. É positivo registar que as marchas regressaram em grande e da nossa parte tudo faremos para que no próximo ano voltem a sair à rua”, confirmou o autarca. “No entanto, é necessária a disponibilidade das estruturas”, lembra Daniel Vieira.

Segundo a UF de Fânzeres e S. Pedro da Cova, assistiram ao espetáculo “alguns milhares de pessoas”, sendo “difícil avançar com um número em concreto”.

Marchas com iniciativas ainda este ano

Daniel Vieira acredita que para o ano as coletividades da freguesia vão voltar a erguer as marchas pela altura das festas. Para isso contarão com o apoio de algumas entidades como a UF e a Câmara Municipal. “Houve uma disponibilidade da CMG e acreditamos que existe um compromisso de avançar com uma verba. O presidente assistiu e verificou a participação e a dimensão da iniciativa”, referiu.

Já com um pé nas marchas de 2016, o autarca não quer deixar passar as deste ano sem deixar que a iniciativa fique gravada na memória dos sampedrenses. “Temos ideia de realizar novas iniciativas em torno das marchas ainda este ano. Estamos a pensar numa forma que possa preservar o que aqui se passou, através de vídeo ou da edição de um documento que preserve essa memória”, concluiu.

, , , ,