Município tenta recuperar estádio do São Pedro da Cova

Estádio São Pedro da Cova - maio 2018

O estádio do Laranjal foi vendido em leilão pela segunda vez / Foto: Pedro Santos Ferreira

No início do mês passado, o estádio do São Pedro da Cova foi comprado por uma empresa de construção de Viana do Castelo, que pagou 103.500 euros em leilão. Ao Vivacidade, Marco Martins, presidente do Município de Gondomar, assegura a continuidade da prática desportiva no recinto.

O estádio do Laranjal passou a ser propriedade da Pires & Pires SA, uma empresa de construção de Viana do Castelo. A aquisição do recinto do Clube Desportivo São Pedro da Cova 1937, que estava em leilão no site das Finanças, foi concretizada por 103 mil euros, valor que Marco Martins, presidente da Câmara de Gondomar, considera “um valor exagerado”.

Apesar da venda à construtora de Viana, o edil gondomarense confirma que “a prática desportiva está assegurada” e assim permanecerá graças ao Plano Diretor Municipal (PDM).

“Por enquanto, o PDM assegura que aquela zona serve, exclusivamente, para a prática desportiva. Não vamos alterar o PDM, por isso aquele recinto não tem outra utilidade”, reforça Marco Martins.

Ao nosso jornal, o presidente do Município de Gondomar garante que está a estudar uma solução alternativa, “dentro de valores razoáveis”.

No entanto, a compra em leilão já deu origem a uma notificação ao clube por parte da Autoridade Tributária e Aduaneira, recomendando a entrega do estádio. “Tudo isto não nos impede de treinar e jogar aqui na próxima época”, afirma Orlando Sousa, presidente da direção do clube.

“Acho que a Câmara de Gondomar desprezou o clube. O presidente Marco Martins apresentou, no mês passado, um investimento de 600 mil euros no complexo desportivo do SC Rio Tinto, quando podia ter resolvido este problema por 48 mil euros, numa fase inicial. Além disso, admira-me que este património desperte a atenção de uma construtora de Viana do Castelo e não desperte o interesse da Câmara de Gondomar”, diz o responsável máximo pelo clube.

Apesar da compra do estádio em leilão, Orlando Sousa mantém a esperança que a situação possa ser invertida, em prol dos 200 atletas do CD São Pedro da Cova 1937.

Entretanto, a empresa “Pires & Pires” deixou ao clube a garantia que poderá preparar a próxima época. A construtora diz não ter interesse em ficar com o estádio, após verificar ser errada a informação do edital da penhora de que haveria três mil metros para construção.

Recorde-se que o estádio do São Pedro da Cova já tinha sido comprado, em 2013, por uma empresa de Lisboa, mas a venda foi impugnada. O património está avaliado em mais de dois milhões de euros.

CDU lamenta impacto da venda do estádio em São Pedro da Cova
À margem da reunião pública do executivo municipal, em Fânzeres, os vereadores da CDU manifestaram-se preocupados com a venda do estádio à construtora de Viana do Castelo. De acordo com Daniel Vieira, “o equipamento está avaliado em mais de dois milhões de euros e foi comprado por 103 mil euros”. “Isto tem um impacto profundo na população e na freguesia de São Pedro da Cova. Aquele património deve ser salvaguardado e este processo não pode contribuir para fomentar a especulação imobiliária em volta daquele terreno, apesar de existir um impedimento, graças ao PDM”, concluiu o autarca.

, , , , , ,
Um comentário em “Município tenta recuperar estádio do São Pedro da Cova
  1. Em todo o processo ouve alguma negligência por parte da Câmara Municipal. Gondomar foi em 2017 capital europeia do desporto, supostamente seria para dar ao município alguma visibilidade na Europa, no país, e mais concretamente na região em relação a promoção do desporto, e deixa por 103 mil alienar um património de 2 milhões a uma empresa construtora? Nos eventos realizados pela câmara ao longo do ano isto é uma migalha! Não vou abordar as opções de investimento da Câmara nas freguesias mas é uma situação revoltante! Se houvesse algum diálogo e entendimento entre A Câmara, Finanças, Junta de Freguesia e os responsáveis do clube se calhar toda esta situação seria evitável

Comments are closed.