Nélson Alves: ““Em Lisboa há mais liberdade entre os resultados positivos e negativos, no Porto há menos tolerância”

“Se a atual direção tivesse entrado quando eu saí, o clube estaria hoje muito melhor”

Nélson Alves, ex-jogador do Sporting CP / Foto: Ricardo Vieira Caldas

Foto: Ricardo Vieira Caldas

Foi aí que decidiu acabar a carreira, mas ainda ia jogar mais um ano no SC Rio Tinto. Como surgiu essa oportunidade?
Antes disso fui jogar futsal oficial pelas escolas de Gondomar. Participávamos na divisão de honra da AF Porto que dava acesso direto à 3ª divisão. O ritmo era completamente diferente e eu não sabia jogar futsal, era totalmente diferente. Tive que me readaptar, mas acabou por ser interessante. Acabei por fazer um curso de gestão desportiva na Universidade Católica, mas as oportunidades nunca surgiram, até que fui convidado pelo SC Rio Tinto para ser vice-presidente e responsável pelo futebol sénior e futebol de formação. Ao mesmo tempo pediram-me para calçar novamente as botas e ajudar o clube. Como fui sempre um apaixonado pelo futebol, aceitei o desafio.

Mas mais tarde até lhe pediram mais, queriam que fosse o presidente.
É verdade. Queriam que eu fosse o responsável máximo do clube e eu fui eleito durante dois anos, de 2006 a 2008. Lutámos para não descer de divisão, mas o mais importante para mim foi sanear financeiramente o clube. Em parte, conseguimos isso. Foram anos duros mas que valeram essencialmente pelo trabalho feito na formação. Não continuei por motivos pessoais, mas o trabalho deveria ter sido continuado. Se a atual direção tivesse entrado quando eu saí, o clube estaria hoje muito melhor.

Em 2008, disse que a FPF estava mais preocupada com a cúpula do futebol profissional e esquecia a base, nomeadamente os clubes locais. Acha que isso ainda se verifica?
Essas palavras têm cinco anos e estão-se a confirmar. Hoje fala-se dos jogadores brasileiros naturalizados que fazem parte da seleção nacional. Isto é olhar para o lado e não querer resolver o problema.

Continua a acompanhar o SC Rio Tinto?
Ainda continuo a acompanhar o clube. Agora estou mais distante mas sempre que posso venho ver um jogo e almoçar com os atuais dirigentes do clube. Há sempre forma de acompanhar o SC Rio Tinto.

, , , ,