Nuno Fonseca é o novo coordenador da ANAFRE no Porto

Tomada de Posse ANAFRE - abril 2018

A tomada de posse de Nuno Fonseca (à esq.) teve lugar no auditório de Campanhã / Foto: Pedro Santos Ferreira

O presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto, Nuno Fonseca, assumiu a 12 de abril, a coordenação da delegação distrital do Porto da ANAFRE, em Campanhã.

Nuno Fonseca tomou posse como coordenador da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), na delegação distrital do Porto. O autarca riotintense assume, assim, um mandato de quatro anos à frente deste núcleo, sucedendo no cargo a Dário Silva.

A cerimónia de tomada de posse teve lugar em Campanhã e contou com as presenças de Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Manuel Pizarro, vereador da Câmara Municipal do Porto, Pedro Cegonho, coordenador nacional da ANAFRE, entre outros autarcas.

Em discurso, Nuno Fonseca salientou a relevância da ANAFRE e das freguesias, “que continuam a ter um papel fundamental a nível nacional”. “Temos, contudo, a necessidade de mostrar a algumas freguesias a existência deste órgão. Por isso, o crescimento é um dos objetivos fundamentais para os próximos quatro anos. É preciso que a ANAFRE seja uma voz representante das freguesias, cada vez mais”, referiu o presidente da Junta de Rio Tinto.

Recorde-se que o autarca integra a ANAFRE desde 2013, ano em que foi eleito para a Junta de Rio Tinto. Desde então, assumiu funções no Conselho-Geral da ANAFRE.

“Queremos que o Porto tenha mais voz”

O que o levou a candidatar-se a este órgão da ANAFRE?
Esta é uma candidatura designada. Existe um acordo entre partidos e um equilíbrio entre os que detêm as presidências das Juntas de Freguesia. O Partido Socialista está em maioria e, por isso, indicou quem gostaria de ver na presidência deste órgão. Eu serei o coordenador distrital e o presidente da Mesa da Assembleia será do PSD. A direção será composta por sete elementos.

A projeção que Rio Tinto tem, contribuiu para esta candidatura e respetiva eleição. Esta freguesia tem cada vez mais visibilidade no distrito do Porto e será a primeira vez que o presidente da Junta de Rio Tinto vai assumir o cargo.

Qual o seu objetivo para este mandato?
A ANAFRE é uma estrutura de grande relevância. Muitas vezes temos um pensamento local e fechado e infelizmente nem todas as freguesias integram a ANAFRE, mas é este órgão que as representa, a nível distrital, regional e nacional.

Temos um papel de esclarecimento e de formação dos autarcas e uma das nossas missões é fazer crescer este órgão, nomeadamente a nível distrital e nacional. Queremos que o Porto tenha mais voz.

Quais serão as principais batalhas?
A descentralização das competências é um tema de grande atualidade. Essa discussão terá que passar, obrigatoriamente, pelas freguesias. Terá que envolver o Governo, os municípios e as freguesias. Isso não tem acontecido.

As mega freguesias também nos causam problemas, porque têm realidades distintas em relação às outras freguesias. Elas são características desta zona litoral do Porto.

Há ainda a questão da possível reversão das agregações de freguesias. Está no programa deste Governo e julgo que nos levará a uma grande discussão. Discutirmos o que vamos separar não será uma discussão fácil de ter. Temos que analisar as situações caso a caso.

Espera terminar este mandato com mais freguesias integradas na ANAFRE?
Sem dúvida! Essa será uma das nossas grandes lutas. Gondomar, por exemplo, não tem todas as freguesias na ANAFRE, mas espero conseguir convencer os meus colegas presidentes de Juntas de Freguesia a aderir a este órgão. A nível nacional, temos cerca de 60% das freguesias connosco.

Os presidentes das Juntas de Freguesia têm que começar a ganhar voz, porque são de extrema importância para as populações. São o órgão político mais próximo de todos.

Consigo à frente da ANAFRE no distrito do Porto, podemos vir a receber um congresso nacional deste órgão no Multiusos de Gondomar?
Espero ter reuniões importantes em Gondomar. No que diz respeito ao congresso, a logística é muito grande, mas essa é uma ideia que me agrada muito.

, , , ,