“Os Verdes” querem esclarecimentos sobre eventual encerramento de serviços da Segurança Social

Seg Social

O balcão atende, em média, 275 pessoas diariamente

O deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar “Os Verdes”, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através do Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, sobre o eventual encerramento do Balcão da Segurança Social de Rio Tinto, que, a concretizar-se, constituirá “um sério revés para a população da Freguesia.”

Alertado para o problema, o deputado refere, em comunicado às redações, que “numa ótica ideológica, o governo tem considerado que os serviços públicos são um mero desperdício de dinheiro para o Estado, fomentando a concentração e/ou o encerramento de determinados serviços, que foram criados para corresponder às necessidades das pessoas, das empresas e ao equilíbrio da sociedade.” “O esvaziamento e encerramento de serviços públicos de proximidade têm gerado impactos negativos com custos acrescidos a nível económico e social que ultrapassam a aparente redução quantitativa de custos na perspetiva do governo. Nesta tendência de destruição dos serviços públicos de proximidade, o governo pretende encerrar a breve prazo o Balcão da Segurança Social localizado na freguesia de Rio Tinto, concelho de Gondomar, conforme informou o presidente da Junta de Rio Tinto na última Assembleia de Freguesia que se realizou a 29 de Abril”, explica ainda o deputado.
José Luís Ferreira, deputado do Grupo Parlamentar “Os Verdes”, afirma que “a intenção do governo PSD/CDS em encerrar este balcão é inaceitável para os utentes e habitantes de Rio Tinto.” “Esta decisão não tem em conta as necessidades das pessoas e a própria realidade da freguesia. Rio Tinto é a freguesia mais populosa do norte, sendo uma das maiores do país, ultrapassando os 50000 habitantes. Diariamente ocorrerem aos serviços deste balcão 275 pessoas. O número de atendimentos aos utentes só não é superior pela falta de funcionários. O eventual encerramento conduzirá ainda mais para afunilar os utentes na Loja do Cidadão (Porto) e delegação de Gondomar, dois serviços saturados onde os utentes esperam tempo considerável para serem atendidos. Do ponto de vista económico, também é impercetível o encerramento, pois o posto de atendimento está localizado num edifício pertencente à Junta de Freguesia de Rio Tinto em regime de arrendamento gratuito. A decisão do governo será meramente ideológica prosseguindo a política de destruição e encerramento dos serviços públicos necessários para corresponder às necessidades das pessoas”, acrescenta.
O deputado questiona assim o governo, entre outras coisas, sobre quais os “critérios que estão subjacentes ao eventual encerramento deste Balcão”

Nuno Fonseca

Nuno Fonseca, presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto

Junta de Rio Tinto não “vê com bons olhos” o encerramento do Balcão

Ao Vivacidade, o presidente da Junta, Nuno Fonseca, afirma que “não vê com bons olhos” o encerramento deste balcão. O autarca explica que lhe foi comunicada verbalmente, em reunião com o diretor de Balcões da Segurança Social, a intenção de fechar o balcão em Rio Tinto. Após a demonstração de desagrado, por parte do presidente da Junta, em relação a esta medida o diretor remeteu a questão para o Conselho Diretivo da Segurança Social. Até agora, segundo Nuno Fonseca, a Junta de Freguesia de Rio Tinto ainda não obteve nenhuma comunicação a informar o encerramento do balcão que atende, em média, 275 pessoas diariamente.

, , ,