Parlamento defendeu remoção integral dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova

Resíduos Perigosos de São Pedro da Cova

Os resíduos estão depositados na freguesia desde 2001/2002 / Foto: Pedro Santos Ferreira

PCP, PSD, PS, CDS-PP, BE e PEV defenderam, no dia 11 de fevereiro, no Parlamento, a remoção integral e definitiva dos resíduos perigosos depositados em São Pedro da Cova.

Os seis partidos com assento parlamentar apresentaram projetos de resolução a exigir uma solução para os problemas ambientais em São Pedro da Cova, onde foram depositadas milhares de toneladas de resíduos industriais provenientes da Siderurgia Nacional. O caso remonta a 2001/2002.

Diana Ferreira, deputada do PCP, lamentou os “graves prejuízos para a população” e o crime ambiental com “consequências para a saúde pública”. A deputada comunista pediu a remoção da totalidade dos resíduos e a requalificação ambiental e cultural do espaço envolvente ao local onde foram depositados os resíduos, além do “apuramento de todas as responsabilidades pelo crime ambiental”.

Para Germana Rocha, do PSD, “apenas o anterior Governo PSD-CDS deu início à remoção dos resíduos”. Já a deputada Isabel Santos, do PS, considerou “absolutamente inquestionável o impacto negativo que as áreas mineiras abandonadas têm nas populações”, propondo também a requalificação ambiental de toda a área envolvente.

Os restantes partidos apontaram na mesma direção.

Recorde-se que entre outubro de 2014 e maio de 2015 esteve em curso uma empreitada de remoção monitorizada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, num investimento superior a 13 milhões de euros, 85% provenientes de fundos europeus. No entanto, em abril do ano passado foi confirmada a existência de mais resíduos para além dos calculados.

“Naturalmente, sentimos que valeu a pena lutar”

Ao Vivacidade, Daniel Vieira, presidente da União das Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova, mostra-se satisfeito com a unanimidade verificada a 11 de fevereiro na Assembleia da República (AR).

“É uma etapa extremamente positiva para a freguesia de São Pedro da Cova. O caminho percorrido foi longo e quem esteve, em 2009, na AR e ouviu as intervenções dos partidos eleitos sobre este problema verificou que ele era constantemente negado. Após esta solução, naturalmente, sentimos que valeu a pena lutar”, refere o autarca.

Daniel Vieira espera agora ver a intenção de remoção integral dos resíduos perigosos refletida no Orçamento de Estado. “Há uma pressão sobre o Governo para resolver este caso, contudo, é fundamental que o Ministério do Ambiente faça uma calendarização das ações a tomar para a resolução do problema”, conclui o presidente da UF de Fânzeres e São Pedro da Cova.

, , , ,