Paulo Teixeira sagrou-se campeão nacional de paraciclismo

Paulo Teixeira no topo do paraciclismo nacional / Foto: Pedro Santos Ferreira

Paulo Teixeira, 28 anos, natural de Medas, sagrou-se campeão nacional de contrarrelógio de estrada, na categoria paraciclismo. Ao Vivacidade, o gondomarense mostra-se orgulhoso pela conquista e espera o reconhecimento do Município de Gondomar. 

No mês passado, Paulo Teixeira, atleta de paraciclismo da Rodabike – Gondomar, sagrou-se pela primeira vez campeão nacional de contrarrelógio de estrada.

A propósito deste título, o jovem atleta recordou ao nosso jornal como tudo começou, desde o acidente que aos 17 anos o deixou internado e sem mobilidade até à conquista do maior troféu da modalidade em Portugal.

“O acidente foi em Jancido e, segundo os médicos que me socorreram, eu não iria voltar a caminhar. Perdi a memória e tudo o que sei hoje é baseado naquilo que me contam. Tinha 17 anos, estava a terminar o ensino secundário, que ficou por aí. Infelizmente, vários órgãos foram afetados e tive que habituar novamente às pequenas coisas do dia a dia. Foram cerca de oito anos de fisioterapia”, lembra Paulo Teixeira.

Até que descobriu uma bicicleta que tinha em casa e arriscou sentar-se em cima dela e voltar a pedalar. A “brincadeira” foi repetida até que os fisioterapeutas perceberam que o ciclismo acelerava o processo de recuperação física. Paulo decidiu investir numa bicicleta adequada ao seu tamanho e rapidamente começou a competir, primeiro a nível individual, depois pelo Centro Ciclista de Gondomar (2014).

“No fim do primeiro ano de competição, desafiaram-me a praticar a modalidade BTT. Até aí só tinha participado em ciclismo de estrada. Experimentei o BTT e logo na primeira época sagrei-me vice-campeão nacional, com a ajuda da treinadora, Ana Paula Tomás”, explica o paraciclista.

Em 2017, transfere-se para a equipa Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão e sagra-se vencedor da Taça de Portugal BTT/XCM para, logo a seguir, passar a competir pela Rodabike/ACRG/Gondomar, que representa nos dias de hoje.

Para Paulo Teixeira, sagrar-se campeão nacional de contrarrelógio “representa todo o esforço de uma época somado num troféu”. “A época ainda não terminou, faltam algumas provas da Associação Ciclismo do Porto e Associação Ciclismo do Minho, mas espero terminar da melhor forma e ajudar a minha equipa nas provas que faltam”, acrescenta.

Gondomarense de gema, o jovem atleta gostaria de ser reconhecido pelo seu esforço no desporto adaptado e espera também ter a oportunidade de levar o nome do concelho cada vez mais longe. “Sou um patriota e gosto muito da terra onde nasci. Nunca fui reconhecido pelo Município de Gondomar, mas acredito que isso ainda vai acontecer. Além disso, gostava de representar Portugal ao mais alto nível, é uma das principais ambições”, conclui. Refira-se que o atleta já disputou também duas Taças do Mundo da modalidade.

, , , ,