Paulo Terra preside direção do Grupo Desportivo e Coral de Fânzeres

Atual direção do Grupo Desportivo e Coral de Fânzeres / Foto: Direitos Reservados

Atual direção do Grupo Desportivo e Coral de Fânzeres / Foto: Direitos Reservados

A nova direção do Grupo Desportivo e Coral de Fânzeres, liderada por Paulo Terra, tomou posse a 15 de abril, nas instalações do clube. Ao Vivacidade, o presidente da direção promete uma aposta na formação neste mandato. 

O Grupo Desportivo e Cultural de Fânzeres (GCDF) elegeu uma nova direção, comandada por Paulo Terra, que vai procurar “revitalizar e dinamizar o clube fanzerense.

Fazem parte da direção Paulo Terra, presidente, Filipe Mota, vice-presidente, Susana Mota, tesoureira, Silvestre Campanhã, 1.º secretário, e Mónica Oliveira, 2ª secretária.

Ao nosso jornal, o novo presidente dos órgãos sociais considera a formação de atletas “a grande aposta desta direção”. “Vamos divulgar a nossa formação junto das escolas da nossa zona. Temos uma falha de dois escalões – escolares e infantis – que podem prejudicar-nos no futuro”, admite Paulo Terra.

O dirigente do GDCF elogia o trabalho da direção anterior que, no entender do novo presidente, “conseguiu realizar importantes obras de recuperação do pavilhão do clube”, contudo, alerta, “nos últimos tempos acusou algum desgaste”. A direção anterior está agora inserida no Conselho Fiscal do clube e acompanha o processo de transição.

Atualmente, o clube apresenta uma situação financeira “estável”, mas Paulo Terra lamenta o corte de 52% no apoio da autarquia ao clube. “Este ano já nos adiantaram que a verba do Município iria aumentar e estamos a contar com esse apoio”, refere o presidente da direção.

O GDCF tem cerca de 100 atletas divididos entre as equipas de hóquei em patins e patinagem artística.

“Dragon Force é uma luta diária”

Perto do Grupo Desportivo e Coral de Fânzeres está a escola de hóquei em patins Dragon Force, do Futebol Clube do Porto, que treina no Pavilhão Gimnodesportivo Municipal de Fânzeres. Para Paulo Terra, a presença do FC Porto representa “uma luta diária”. “Tentamos tirar as crianças das ruas e queremos torná-las pessoas melhores, contudo, o emblema tem um peso muito grande. Temos o nosso pavilhão mas precisamos de um apoio nos balneários”, afirma o presidente da direção do clube fanzerense.

, , ,