Pedro Carvalho é o novo líder do CDS-PP Gondomar

Pedro Carvalho - fevereiro 2019

Pedro Carvalho é o novo líder dos centristas em Gondomar / Foto: Direitos Reservados

Pedro Carvalho, 36 anos, é o novo presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP. O centrista sucede, assim, a António Aguiar e promete “dar novo rumo” ao partido em Gondomar.  

“Será seguramente um mandato diferente”, começa por afirmar Pedro Carvalho, recém-eleito presidente da Comissão Política do CDS-PP Gondomar.

O militante honorário da JP, como faz questão de recordar com orgulho, quer pôr mãos à obra e espera traçar um novo rumo, tendo como horizonte as próximas eleições autárquicas, previstas para 2021. Até lá, diz, “há muito trabalho pela frente”.

“No cenário político atual, o CDS tem todas as condições para crescer a nível local e nacional. Para isso, temos que fazer o trabalho de casa. Esse trabalho passa, precisamente, pela implementação do partido nas várias freguesias do concelho, através da criação de núcleos, que ainda não existem. Um concelho como Gondomar, com duas realidades distintas, urbana e rural, justifica a criação destes núcleos”, admite Pedro Carvalho, em declarações ao Vivacidade.

Na memória do novo líder centrista está bem presente o último resultado autárquico, obtido em coligação com o PSD Gondomar, que reduziu a presença do CDS-PP a três autarcas eleitos. “Um descalabro, tendo em conta que o CDS já chegou a ter dois vereadores no executivo da Câmara de Gondomar”, lamenta o centrista.

“Tem faltado organização e implantação do partido neste concelho. Por isso, queremos um mandato com um dinamismo maior e mais próximos da população. Queremos estar mais presentes na vida ativa de Gondomar, quer através de contactos com as populações, empresas e instituições. Queremos ir para o terreno”, refere.

Questionado sobre o grande objetivo da sua candidatura, o novo presidente da Comissão Política centrista não hesita: “queremos apresentar listas próprias nas próximas Autárquicas”. Contudo, Pedro Carvalho admite que a decisão final será tomada pelos cerca de 400 militantes do CDS-PP em Gondomar.

“Não dizemos que não a eventuais coligações, mas queremos coligações em que o CDS tenha a sua voz e uma palavra a dizer em todos os momentos. O CDS quer trilhar o seu próprio caminho, sem deixar de comunicar com os parceiros do nosso espetro político. Temos expectativas de conseguir um bom resultado eleitoral em 2021”, acrescenta.

Ao nosso jornal, Pedro Carvalho admite que não se imagina no papel de candidato ao Município de Gondomar, mas acredita que o partido apresentará “alguém digno desse cargo”.

Já sobre a gestão socialista que se regista desde 2013, o líder do CDS Gondomar admite que ainda “existem muitas lacunas em vários setores”. “Gondomar precisa de crescer e de acompanhar o desenvolvimento dos concelhos vizinhos. Infelizmente ainda somos um dormitório do Grande Porto. Temos que inverter esta lógica. O atual executivo está a cometer os mesmos erros do passado”, conclui.