População de São Pedro da Cova preocupada com resíduos tóxicos

A remoção dos resíduos perigosos poderá entrar na 2ª fase / Foto: Arquivo Vivacidade

A remoção dos resíduos perigosos poderá entrar na 2ª fase / Foto: Arquivo Vivacidade

Daniel Vieira, presidente da União das Freguesias de Fânzeres e São Pedro da Cova, admite que a população está “alarmada” face ao atraso na remoção definitiva dos resíduos perigosos.

A segunda fase de remoção de resíduos industriais perigosos aterrados entre 2001 e 2002 pela Siderurgia Nacional nas antigas minas de São Pedro da Cova está parada. A operação está pendente de verbas cofinanciadas por fundos europeus, à semelhança do que sucedeu na primeira fase, mas Bruxelas não autorizou a aplicação das verbas inscritas no Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos. A espera tem “alarmado” a população local.

Segundo Daniel Vieira, “vão ser exigidas respostas” ao Governo e à Presidência da República. “Reiteramos os nossos pedidos de audiência e estamos a convocar a população para uma iniciativa de mobilização e participação cívica que exija a resolução definitiva deste problema (ver caixa)”, afirma o autarca, em declarações ao Vivacidade.

A “preocupação” surge após declarações do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, que na Assembleia da República admitiu não ter uma solução para o problema.

Por sua vez, Marco Martins, presidente da Câmara Municipal de Gondomar, considera o alarmismo “exagerado”. “O Governo está com dificuldades em concluir o processo de remoção através do POSEUR, contudo, isso não quer dizer que não existam outros programas no Portugal 2020 que possam garantir a verba necessária à conclusão deste processo”, conclui o edil gondomarense.

“Vamos questionar novamente a União Europeia sobre este problema”
João Ferreira, deputado do PCP no Parlamento Europeu, visitou no dia 4 de novembro o local onde estão depositados resíduos perigosos, em São Pedro da Cova. De acordo com o eurodeputado, o tema vai regressar à União Europeia.

“Vamos questionar novamente a União Europeia sobre este problema. Queremos saber que verbas existem para concluir este processo de remoção, descontaminação e valorização ambiental. Além disso, o processo de monitorização do lençol freático deve ser realizado com seriedade”, afirmou João Ferreira ao nosso jornal.

União de Freguesias promove vigília pela remoção total dos resíduos
A União das Freguesias lançou o apelo à população de São Pedro da Cova para a realização de uma vigília pela remoção total dos resíduos perigosos. O protesto está marcado para o dia 25 de novembro, às 19h30, junto ao Centro de Saúde de São Pedro da Cova.

, , , ,