Primeiro-ministro visitou Escola Secundária de Rio Tinto

António Costa - março 2018

António Costa visitou a Escola Secundária de Rio Tinto / Foto: Pedro Santos Ferreira

A Escola Secundária de Rio Tinto recebeu, no dia 7 de março, a visita do primeiro-ministro, António Costa, no âmbito do Roteiro da Inovação. O projeto piloto de flexibilização e autonomia curricular mereceu a aprovação do chefe do Governo.

António Costa veio a Rio Tinto conhecer o trabalho desenvolvido pela Escola Secundária de Rio Tinto (ESRT), um dos 230 estabelecimentos de ensino a nível nacional onde está a ser implementado o projeto piloto de flexibilização e autonomia curricular.

Entre outras características, o programa inovador prevê juntar na mesma sala professores de várias disciplinas que lecionam ao mesmo tempo e de forma individualizada.

Em Rio Tinto, o primeiro-ministro, ladeado pelo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, visitou três salas de aulas para conhecer in loco o projeto e ouvir os alunos que estudam diferentes temas, em simultâneo.

“O investimento na educação começa no pré-escolar e termina no ensino superior, mas passa por esta fase essencial da vida que é o ensino básico e o ensino secundário. É crítico e fundamental que nestes 12 anos de escolaridade possamos fazer o grande esforço de investimento na geração que vai assegurar o país de inovação”, disse António Costa.

Os professores foram igualmente auscultados pelos governantes, que ouviram atentamente os benefícios e os desafios colocados a este método de ensino inovador.

Já no auditório da escola, perante uma centena de alunos e professores, António Costa encorajou a comunidade escolar a aproveitar o projeto piloto. “Têm uma enorme sorte em poderem participar nesta experiência. A vossa geração vai ter de ser o grande motor da inovação. Esta experiência da flexibilização e o reforço de autonomia da escola são fundamentais para que haja inovação. A alegria que vi nas salas que visitámos dizia tudo do empenho nesta experiência”, referiu o governante.

Por sua vez, Tiago Brandão Rodrigues, elogiou a escola de Rio Tinto e as que estão a ser pioneiras neste projeto, afirmando que “as comunidades educativas que têm estado no projeto são a prova viva das mais-valias do que foi idealizado”.

De acordo com informação distribuída aos jornalistas, este projeto piloto tem como objetivos, entre outros, “o reforço da metodologia de projeto com aprendizagens mais significativas e mais práticas”, bem como “a diversificação de instrumentos de avaliação” e “o desenvolvimento de projetos e temas interdisciplinares”.

Luísa Pereira aprova projeto da tutela
O projeto piloto desenvolvido em turmas do 1.º, 5.º, 7.º e 10.º ano merece também a aprovação da diretora da ESRT, Luísa Pereira. Ao nosso jornal, a responsável pela instituição acrescenta que o projeto “foi aplicado a todo o agrupamento”.

“Fomos a Lisboa apresentar a nossa implementação e isso despertou a curiosidade do Governo, que quis visitar-nos e assistir a três aulas. O projeto está ativo há seis meses, portanto é prematuro avaliar o seu impacto na comunidade escolar, contudo, há uma valorização do trabalho interdisciplinar, que é muito gratificante para o aluno”, afirma a diretora.

, , , , , ,