Projeto + Cuidar dá cor à vida dos Cuidadores Informais

É desde 2015 que o projeto +Cuidar tem vindo a dar mais cor à vida das pessoas que são cuidadores informais. Estivemos à conversa com uma cuidadora informal e com uma técnica de referência para percebermos no que consiste este programa.

O projeto + Cuidar consiste num projeto desenvolvido com o intuito de apoiar os cuidadores do Município de Gondomar. O projeto desenvolvido pela Câmara Municipal realiza intervenções que pretendem promover o bem-estar físico e psicológico, procurando dar, a curto e médio prazo, respostas mais eficientes e concertadas às necessidades dos integrantes do programa.

Maria Conceição, tem 55 anos, vive em Covelo e, de momento encontra-se a cuidar do marido que necessita de cuidados paliativos. “Só tenho a dizer coisas boas do projeto, destaco todo o trabalho desenvolvido pelas técnica que é muito importante para nós, sinto falta do riso, do abraço do aconchego, sinto falta do conforto que estes momentos nos proporcionam”, refere a cuidadora informal quando descreve o projeto e declara que este tipo de iniciativas têm que se manter e crescer, “porque infelizmente há muitas pessoas a precisar”, para Maria o projeto mudou a sua vida, “pena que o COVID não nos permita ter as sessões” presencialmente, “porque realmente fazem muita falta”.

Antónia Ferreira é Técnica de referência do programa, e ocupa o cargo de dirigente do núcleo de saúde de Gondomar, e aproveitou o momento da entrevista para fazer um apelo direto à Vereadora responsável pelo programa, Cláudia Vieira “só peço que a Vereadora não me retire do programa, porque realmente sinto que faço aquilo que aprendi enquanto académica, gosto muito de estar ligada a estas pessoas, para mim enriquece-me como ser humano”, constata a responsável. Antónia explica que o seu papel enquanto técnica de referência no projeto passa por acompanhar todas as sessões realizadas e servir de ponte entre o cuidador informal e os formadores, em simultâneo “o técnico de referência tem o papel de perceber o estado emocional, as necessidades que cada cuidador manifesta e fazer o respetivo encaminhamento, ou para outros serviços, por exemplo na área da psicologia ou sinalizá-los no que concerne às necessidades económicas”.

A técnica responsável explica que no final de cada sessão é possível visualizar a transformação dos participantes, “este tipo de projetos torna-se importante porque elas chegam aqui com uma carga emocional muito pesada”, a responsável explica que os cuidadores informais precisam deste apoio e que, “no fundo queremos que eles lidem com isto de uma forma muito mais leve e que tenham a capacidade de olhar para eles, nós queremos que eles se apercebam que eles próprios são pessoas” e que não se devem demitir do “seu próprio eu, não devem prescindir totalmente da sua própria vida”.

O projeto possui um programa Psico-educativo dividido em 10 sessões com formadores de diferentes áreas tais como: psicologia, enfermagem, direito, serviço social e fisioterapia. Cada grupo é composto por oito cuidadores informais.

No âmbito da Formação e Capacitação de Formadores de Cuidadores Informais, o Município de Gondomar levou a cabo uma ação de (re)capacitação junto de 30 técnicos do projeto +CUIDAR, como resposta ao impacto da pandemia de COVID-19 na intervenção prestada pelos Cuidadores Informais realizada por video- conferência. ▪

, , , , , , , , , , ,